Tamanho do texto

Mercado financeiro espera que Selic caia para 11,25% na quarta-feira (12). As projeções para inflação deste ano e do PIB também foram revistas; veja


Mercado financeiro sinaliza novo corte da taxa Selic na quarta-feira (12), diz Banco Central
Dinheiro, reais
Mercado financeiro sinaliza novo corte da taxa Selic na quarta-feira (12), diz Banco Central


A equipe de Comitê de Política Monetária (Copom) reunido até quarta-feira (12) para analisar o valor da taxa básica de juros – Selic – faz com que as instituições financeiras consultadas pelo Banco Central (BC) para publicar o Boletim Focus, estimem que a taxa de juros seja reduzida em 1 ponto percentual. Com a decisão, a Selic passaria de 12,25% para 11,25% ao ano.

Leia também: Consumidores pedem que indenização a transmissoras de energia seja reavaliada

A projeção foi divulgada nesta segunda-feira (10) pelo Banco Central e aponta as expectativas para inflação, taxa de câmbio e investimentos no País.  A projeção para a taxa ao final deste foi reduzida pelo mercado financeiro ao passar de 8,75% ao ano para 8,50% ao ano. Para o fim de 2018, a expectativa segue em 8,50% ao ano.

O cenário a mostrar inflação controlada e próxima ao centro da meta tem feito com que o Copom faça cortes consecutivos na taxa de juros. Em fevereiro, data da última reunião do Conselho Monetário, a Selic teve o quarto corte consecutivo, sendo ele de 0,75 ponto percentual, passando de 13% para 12,25%. A decisão foi inânime e com os cortes seguidos do juros, o governo quer estimular a produção e o consumo no País.

Leia também: Contribuinte tem até julho para regularizar patrimônios comprados no exterior

Projeção para a inflação

Outra estimativa do mercado financeiro que tem sido revista, para baixo, é o da inflação. Após cinco quedas consecutivas, a projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), foi ajustada de 4,10% para 4,09%.

A projeção para a inflação este ano está abaixo do centro da meta, que é 4,5%. A meta tem ainda limite inferior de 3% e superior de 6%. Para 2018, a estimativa passou de 4,5% para 4,46%.

Outro indicador importante á economia brasileira é a perspectiva de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB). Os economistas reduziram a projeção divulgada nesta segunda-feira. O indicador do PIB passou de 0,47% para 0,41% de crescimento.

 Para 2018, quando a expectativa é que a crise econômica tenha passado, o mercado estima que o PIB do Brasil cresça 2,5%, informou o Banco Central. A estimativa oficial, divulgada pelo Ministério da Fazenda aponta que o PIB terá crescimento de 0,50% este ano.

Leia também: Como empresa saiu do setor de vale-refeições e chegou ao sucesso com táxis