Brasil Econômico

undefined
Valter Campanato/Agência Brasil
Henrique Meirelles e Dyogo Oliveira fizeram pronunciamento nesta sexta-feira (7) para anunciar projeção do governo

Em pronunciamento feito pelos ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, e do Planejamento, Dyogo Oliveira, nesta sexta-feira (7), o governo anunciou uma nova meta de deficit primário para 2018, passando de R$ 79 bilhões para R$ 129 bilhões. O deficit primário representa as despesas superiores às receitas, desconsiderando os juros da dívida pública.

Leia também: Instabilidade socioeconômica e política faz confiança do consumidor cair 3,9%

O governo considerou as projeções para o crescimento da economia de 0,5% em 2017, e de 2,5% no próximo ano de 2018, para chegar ao valor. Além disso, também há a previsão de que a inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), fique em 4,3% este ano, e em 4,5% em 2018.

De acordo com Oliveira, a proposta de deficit, que ainda precisa ser envidada ao Legislativo, está de acordo com a média do mercado no que diz respeito ao resultado fiscal. Apesar do aumento na projeção, Meirelles disse que o Brasil passa por "uma trajetória bem sólida de recuperação", considerando os efeitos da crise nos últimos anos.

Oliveira também fala sobre os anos anteriores para justificar atrasos na receita "Em 2018, ainda sofreremos um processo de atraso na receita. As empresas ainda estarão em 2018 acumulando muitos créditos fiscais de prejuízos dos anos anteriores. O nível de atividade, embora tenhamos uma recuperação considerável para 2018, não impacta imediatamente a arrecadação. Por isso que a arrecadação esta sendo manda praticamente estável", afirmou.

Leia também: Ministério encontra trabalhadores em situação análoga à escravidão

Superávit

Com uma redução progressiva do deficit, o governo prevê que o superávit seja alcançado apenas em 2020, em um valor de R$ 10 bilhões. No que diz respeito somente aos estados, o ministro diz que a previsão de superávit é de R$ 1,2 bilhões em 2018, R$ 4, bilhões em 2019 e R$ 16,6 bilhões em 2020. Em relação ao Produto Interno Bruto (PIB), foi mantida a previsão de aumento de 2,5% em 2018. 

Salário mínimo

Meirelles informou também os valores para o salário mínimo até o ano de 2020. Para o próximo ano a projeção é de R$ 979, valor pouco maior na comparação com o atual valor do mínimo que é de R$ 937.

Os valores para o salário mínimo, assim como as demais informações sobre a LDO, serão enviadas ao Congresso Nacional  no dia 13 de abril, informou Meirelles durante a coletiva de imprensa.

Leia também: Preços na construção civil crescem 0,46% em março, aponta IBGE

Ao ser questionado sobre uma possível antecipação do envio das projeções, o ministro informou que “o prazo do governo é até o dia 15 de abril”. Para 2019, o valor que pode vir a ser pago por mais de 45 milhões de trabalhadores brasileiros deve ser de R$ 1.029 e em 2020 de R$ 1.103. Meirelles afirmou que, como o projeto de lei ainda não foi sancionado, se necessário tomará providências para que não aconteçam perdas com a aprovação da terceirização. 


    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários