Brasil Econômico

Brasil Econômico

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta sexta-feira (7), uma variação positiva de 0,46% sofrida pelo Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi). O percentual ficou 0,27 ponto percentual acima da taxa de 0,19% registrada em fevereiro.

Leia também: Empresários da construção iniciam 2017 com maiores expectativas, aponta CNI

undefined
iStock
IBGE aponta alta no custo nacional da construção, ao passar de R$ 1.033,16 em fevereiro para R$ 1.037,96 em março

De acordo com o IBGE , a taxa dos últimos 12 meses ficou em 5,39%, considerada inferior a de 5,77% obtida nos 12 meses anteriores. Vale ressaltar que no terceiro mês do ano, o índice foi de 0,82%.

Em relação ao custo nacional da construção, por metro quadrado, foi observado um aumento, uma vez que passou de R$ 1.033,16 em fevereiro para R$ 1.037,96 em março, sendo R$ 534,22 abrangentes aos materiais e R$ 503,74 à mão de obra.

Já no que se diz respeito à parcela dos materiais, a variação foi de 0,06%, resultado considerado abaixo a taxa apresentada no segundo mês do ano, com 0,37%.

Diante disso, a parcela de custos referente à mão de obra apontou acréscimo de 0,90%, diferente de fevereiro, a qual tinha se mantido inferior. Enquanto os acumulados em 12 meses ficaram em 1,68%, para materiais e 9,65% em relação à mão de obra.

Leia também: Construção civil demite mais de 1 milhão de trabalhadores, diz SindusCon-SP

Regiões

Nos resultados regionais, a região Sudeste deteve a maior variação de março, com 0,70%. Em seguida ficou o Norte, com 015%, o Nordeste, com 0,42%, o Sul, com 0,23% e o Centro-Oeste, com 0,25%.

Já os custos, por metro quadrado, de todas as regiões registraram altas no mês. Na região Norte o valor subiu para R$ 1.052,31. No Nordeste o custo foi de R$ 960,27, seguido dos R$ 1.085,96 da região Sudeste, R$ 1.073,93, do Sul e R$ 1.042,08 do Centro-Oeste.

Em consequência da pressão ocasionada pelo reajuste salarial do acordo coletivo, Minas Gerais registrou a maior variação mensal, com 3,09%.  Ocupando a segunda posição ficou o Maranhão, que variou 2,51% no mês, também influenciado pelo impacto de reajuste definido na convenção.

Metodologia

O Sinapi, apurado pelo IBGE, foi criado em 1969 com o objetivo coletar e produzir   informações de custos e índices de maneira sistematizada e com abrangência nacional. Desse modo, visa a elaboração e a avaliação de orçamentos, além do acompanhamento de custos.

Leia também: Novo golpe no WhatsApp usa promoção falsa da Kopenhagen como armadilha

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários