Tamanho do texto

Baixa no volume de vendas, aumento dos preços de insumos, além do preço das matérias primas e produtos estão entre os motivos da retração

Brasil Econômico

A Confiança da micro e pequena empresa (MPE) apresentou queda de 5,2% no mês de março, ao atingir a marca de 49,7 pontos. Os dados foram apurados pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e variam de  zero a 100, sendo que quando mais próximo de 100, maior o otimismo. 

Leia também: Produção industrial registra variação positiva de 0,1%, diz IBGE

MPE: avaliação dos últimos seis meses apontou para baixa na confiança
Charles Damasceno/Agência Sebrae
MPE: avaliação dos últimos seis meses apontou para baixa na confiança

Embora o cenário da MPE apresente baixa, no comparativo com o mesmo período de 2016, o valor da confiança é de crescimento de 15,3%.

De acordo com os especialistas do SPC Brasil, a baixa não significa reversão do avanço, e sim mais um sinal de que o reestabelecimento da confiança será lento, com diversas incertezas por conta do cenário político. O presidente da CNDL, Honório Pinheiro, avalia que a queda da inflação e dos juros, e a liberação do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) ainda não se manifestaram no dia a dia do empresário brasileiro.

Leia também: Venda de veículos tem alta de 38,86% em março, diz Fenabrave

Últimos seis meses

O balanço elaborado também apurou o Indicador de Condições Gerais das MPEs, o qual diz respeito ao desempenho das empresas e da economia nacional nos últimos seis meses. Neste recorte, houve queda com o indecador a passar de 35,2 pontos para 34,4 pontos. A baixa de 2,3% se deve a piora constatada por 50% dos empresários em seus negócios.

Entre os motivos identificados estão a baixa no volume de vendas, aumento dos preços de insumos, além do preço das matérias primas e produtos. Por outro lado, o grupo dos otimistas conta com apenas 15% dos empreendedores.

Na perspectiva sobre o cenário econômico nacional, 61% dos empresários avaliam que este piorou no último semestre, ante 10% que visualizaram melhora. Incertezas políticas, e percepção sobre a gravidade da crise foram os itens mais citados pelos entrevistados, com taxas respectivas de 26% e 30%.

Próximos seis meses

Nem mesmo a esperança se mostrou presente entre as MPEs, uma vez que a pontuação obtida em março foi de 61,2 pontos, enquanto que em fevereiro de 2017, a marca foi de 65,4 pontos. Vale ressaltar que embora a variação seja negativa, este indicador está acima do nível neutro de 50 pontos.

Em relação à economia brasileira, 48% dos micros e pequenos empresário estão confiantes com o futuro, sendo que um quarto dos entrevistados que fizeram essa afirmação não sabem responder o motivo. Ao analisarem apenas a empresa, a taxa de confiança chega a 57%. Entre estes, 44% acredita que o faturamento da MPE continuará estável ou crescerá no próximo semestre.

Leia também: Confira oito orientações para quem deseja abrir um negócio

    Leia tudo sobre: empreendedorismo