Brasil Econômico

Brasil Econômico

undefined
iStock
Fecomercio-SP aponto a geração de 127 empregos com carteira assinada no comércio atacadista de São Paulo

De acordo com a Pesquisa de Emprego no Comércio Atacadista do Estado de São Paulo (PESP Atacado) elaborada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP) o setor atacadista de São Paulo eliminou 854 empregos formais em janeiro. O resultado foi de 13.334 admissões e 14.188 desligamentos, ou seja, 30% inferior aos 1.246 empregos perdidos no mesmo período do ano passado.

Leia também: IPC-S varia 0,47% em março e PIB tem queda de 0,3%, aponta FGV

A pesquisa da Fecomercio-SP  com informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), ainda evidenciou que o atacado paulista encerrou o mês com estoque de 491.088 trabalhadores com carteira assinada, ou seja, queda de 1,4% se comparado ao primeiro mês de 2016. Já no acumulado de fevereiro de 2016 a janeiro deste ano, o saldo ficou negativo em 7.082 empregos formais. Entretanto, o cenário foi considerado melhor em relação a fevereiro de 2015 e janeiro do ano passado, quando 17.988 postos de trabalho com carteira assinada foram extintos no setor. 

Segmentos

Em janeiro, das 10 atividades pesquisadas, somente 3 apresentaram alta em seus estoques de emprego se comparadas ao mesmo mês do ano passado: produtos farmacêuticos e higiene pessoal e  energia e combustíveis, ambos com 1,3% e alimentos e bebidas, com 0,5%.

Por outro lado, os segmentos de eletrônicos e equipamentos de uso pessoal, máquinas de uso comercial e industrial e materiais de construção, madeira e ferramentas apresentaram resultados negativos, com queda de 4,7%, 3,9% e 3,9%, respectivamente.

Em relação às regiões, a Capital foi a que apresentou maior saldo positivo de empregos, com 127 vagas. Em seguida ficaram Jundiaí, com 48 e Araraquara, com 44 vagas. Em contrapartida, se destacaram negativamente Osasco, com 321 vagas, Taubaté, com 178 e ABCD, com 90.

Leia também: Banco Central: Mercado espera que taxa de juros caia para 8,75% até o fim do ano

Segundo a assessoria econômica da Federação, o baixo desempenho do mercado de trabalho do comércio atacadista em São Paulo foi impulsionado pelo segmento de alimentos e bebidas, com a redução de 1.237 vínculos empregatícios em janeiro. No entanto, a entidade ressalta que o ocorrido é um movimento sazonal, e que esse ajuste é natural após o período de festas de fim de ano. Além disso, aponta que a tendência para os próximos meses é positiva, uma vez que se estima saldos mais amenos, principalmente no segundo semestre.

Atacado paulistano

Também em janeiro foram gerados 127 empregos com carteira assinada no comércio atacadista de São Paulo. Assim, a ocupação formal atingiu 204.482 empregados, enquanto o saldo acumulado dos 12 meses ficou negativo em 2.995 empregos,  queda de 1,4% no estoque total de trabalhadores se comparado a janeiro do ano passado.

A Fecomercio-SP ainda mostrou que entre as 10 atividades, os únicos saldos negativos foram observados nas atividades de alimentos e bebidas, com 342 vaga a menos e outras atividades, com a baixa de 21 vagas. Por outro lado, com os maiores saldos positivos do mês se destacou o atacado de papel, resíduos e sucata, com a criação de 148 vagas, assim como máquinas de uso comercial e industrial, com 112 vagas a mais.

Leia também: Novas regras: veja o que mudou no rotativo do cartão e como evitar dívidas

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários