Tamanho do texto

Após operação Carne Fraca, da Polícia Federal, exportações brasileiras amargam queda ao passar de US$ 62,2 milhões para US$ 50,5 em sete dias

Brasil Econômico

Uma semana após a deflagração da Operação Carne Fraca, pela Polícia Federal, as exportações de carnes brasileiras foram 19% menores. Segundo balanço prévio divulgado pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços o rendimento diário das exportações passaram de US$ 62,2 milhões na terceira semana de março para US$ 50,5 milhões na semana passada.

Leia também:Ministério da Justiça suspende recall de dois frigoríficos investigados

Operação Carne Fraca trouxe prejuízo de US$ 12 milhões às exportações em apenas sete dias
shutterstock
Operação Carne Fraca trouxe prejuízo de US$ 12 milhões às exportações em apenas sete dias


As perdas, que somaram US$ 12 milhões em sete dias, foi apenas um dos reflexos negativos da Operação Carne Fraca.  Após o escandâlo, diversos importadores de carne do mercado brasilero anunciaram embargos aos produtos. 

O Ministério informou ainda que na soma das quatro primeiras semanas do mês de março, o Brasil exportou US$ 890,9 milhões em carne suína, bovina e de frango. Ao comparar o resultado com o do igual período de 2016  – que teve um dia útil a menos –, houve queda significativa, já que em março de 2016 as exportações de carnes chegaram a US$ 1 bilhão.

Ainda de acordo com o balanço divulgado pelo governo brasileiro, os preços dos insumos negociados também tiveram queda neste mês de março. O valor médio da carne de frango, por exemplo, passou de U$$ 1.670 a tonelada para U$$ 1.676. No entanto, a comparação ainda não representa uma tendência, já que na segunda semana de março o preço médio do produto era U$$ 1.705, e na primeira semana o valor chegou a U$$ 1.777.

Leia também: Ministério anuncia fim do embargo de Hong Kong sobre carnes brasileiras

A carne suína também apresentou uma pequena alta no período, enquanto o produto de origem bovina teve uma queda, novamente em proporções já registradas ao longo do mês. Segundo o ministério, 60% das carnes embarcadas no período provinham de aves, 27% de bovinos, 10% de suínos e 3% de miúdos em geral. A pasta informou também que 108 países receberam encomendas do produto brasileiro na semana passada, prioritariamente Arábia Saudita com 12% das exportações brasileiras, Rússia com 10% de participação, Hong Kong com 9%, Japão e China, ambos com 8%.

Reflexos

Uma das medidas adotadas pelo governo para impedir que todos os seus importadores fechassem o mercado após a repercussão da Operação Carne Fraca foi retirar a licença de exportação dos frigoríficos citados pela Polícia Federal. A situação só não foi pior, pois a equipe de governo brasileira não mediu esforços para reverter à imagem das empresas e por consequência, fazer com que os países retirassem o embargo dos produtos brasileiros. Na terça-feira (28) foi à vez de Hong Kong voltar atrás na decisão e voltar a importar e comercializar a carne brasileira a seus consumidores.

Leia também: Seis frigoríficos são interditados pelo Ministério da Agricultura; veja quais