Tamanho do texto

Comprado pelo Facebook em 2012, o Instagram tem potencializado negócios com a criação dos Stories e com publicidade com influenciadores digitais

Instagram: Dois em cada cinco usuários já compraram produtos após ações de marketing pela plataforma
shutterstock
Instagram: Dois em cada cinco usuários já compraram produtos após ações de marketing pela plataforma


Que o Instagram é uma das redes sociais de maior acesso no mundo isso não é novidade para ninguém. Mas será que as empresas sabem como aproveitar todo esse potencial em favor dos negócios? Aparentemente muitos players já se renderam as campanhas de marketing e publicidade pelo canal, entretanto nem todos sabem criar estratégias capazes de converter o usuário da rede social em cliente.

Leia: Saiba como aumentar a taxa de recompra em lojas online

Segundo Lucas Burza, sócio - fundador e diretor de conteúdo da empresa especializada em marketing digital – Agência Linka, desde 2015 o Instagram permite que anúncios sejam criados em sua plataforma. E de lá para cá, a rede social de fotos e mais recentemente de vídeos, tem aproximado consumidores das marcas por meio de conteúdos aspiracionais.

Instagram:
Divulgação
Instagram: "Conteúdo aspiracional é estratégia para vender pela plataforma", afirma o especialista em marketing digital, Lucas Burza


“Um dado muito interessante de janeiro deste ano diz que dois em cada cinco brasileiros já fizeram uma compra inspirados no Instagram, ou seja, devemos atribuir o devido peso ao canal”, explicou o empresário. Para Burza, o conteúdo a ser explorado nesse canal deve inspirar o consumidor. “O Instagram é uma plataforma inspiradora com conteúdo rico e aspiracional. Portanto, partir desse conceito para criar peças (campanhas) patrocinadas é a melhor prática a ser empregada”.

Tendência

A rede social, que foi comprada pelo Facebook em 2012 pela bagatela de US$ 1 bilhão, tem os mesmos princípios ou regras para anúncios, porém deve ser explorada de forma distinta pelo empresário. “É bom saber que apesar de pertencer ao Facebook, a finalidade entre os canais têm diferenças”, explicou o especialista ao que completou: “Imaginando a jornada do consumidor, o Instagram está mais para as etapas de topo de funil, como reconhecimento e consideração ligados à marca, do que ligadas às finais como conversão”. 

Burza refere-se a uma técnica de marketing de conteúdo chamada de inbound marketing. Topo do funil refere-se a consumidores que estão em busca de inspiração para sua jornada de compra, logo atraí-los nesse momento aumenta as chances deles escolherem a sua marca para fazer a compra. O especialista da Agência Linka afirmou que uma estratégia que tem sido assertiva em ações no Insta é usar o alcance dos influenciadores digitais, neste caso, dos instagramers.

Leia também: YouTube perde mais quatro anunciantes por conteúdos racistas

Com milhares de seguidores, a publicidade nesses canais é capaz de retornos substanciosos aos empresários. “Outra alternativa é usar influenciadores da rede em prol da marca. Como qualquer ação nesse modelo, é muito importante ter em mente que o conteúdo criado deverá ser autêntico e condizer com a marca, influenciador, canal e principalmente público-alvo. A escolha de um influenciador para endossar sua ação, independente do canal, tem que ser adequada com a estratégia de comunicação e deve levar em conta quem é o público dele, afinal serão eles os impactados pela mensagem”, orienta Burza.

Para finalizar, Lucas Burza listou cinco dicas para quem pretende explorar o recurso Stories, do Instagram, para alavancar as vendas; veja:  

1) Play with time

Como o stories é 24 horas, são ideiais para vendas com tempo limitado.

2) Play with promos

Promover promoções e hashtags;

3) Tutorial

Ensinar o consumidor com um passo a passo de alguma coisa;

4) Discovery

Trazer teasers sobre conteúdos/produtos;

5) Behind the scenes

Trazer experiências exclusivas. 

Leia também: Especialista dá dicas de marketing digital para empresas fugirem da recessão