Tamanho do texto

No entanto, as carnes produzidas pelos frigoríficos investigados continuam proibidas; pelo menos 19 países ainda mantêm suspensão de importações

Após China anunciar a retomada das importações de carne brasileira neste sábado (25), Egito e Chile também recuam na decisão de manter medidas de suspensão do produto. Os bloqueios haviam sido feitos em decorrência do escândalo deflagrado pela operação Carne Fraca, da Polícia Federal (PF).

Após recuo da China, Egito e Chile também voltam a importar carne brasileira
Arquivo/Agência Brasil
Após recuo da China, Egito e Chile também voltam a importar carne brasileira


Leia também:Temer afirma que decisão da China de reabrir mercado mostra confiança no País

Até o momento, os países anunciavam que as aquisições de carne brasileira só aconteceriam quando as autoridades fornecessem esclarecimentos considerados satisfatórios sobre a operação. 

Entretanto, mesmo com a decisão favorável para as importaçõe s, foram mantidas algumas restrições. O Chile continuou com a proibição da entrada de produtos dos 21 frigoríficos investigados pela operação, conforme informou o Serviço Agrícola e Pecuarista do Chile.

O órgão chileno justificou que a decisão foi tomada após ter recebido explicações do Ministério da Agricultura e Pecuária do Brasil em resposta ao pedido de informações detalhadas sobre as investigações da PF. O país informou que poderá suspender as importações de qualquer outro estabelecimento que apareça posteriormente nas apurações.

O Egito e a China também mantiveram a proibição para a importação da carne dos frigoríficos envolvidos na operação. O Ministério da Agricultura egípcio declarou reconhecer a qualidade da carne brasileira após exames feitos por três diferentes órgãos governamentais.

No ano passado, as importações de carne brasileira pelo Egito resultaram em 690 milhões de dólares, segundo informações do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. Já o Chile, por sua vez, somou 441 milhões de dólares.

Leia também: Juiz diz que foco da Operação Carne Fraca é apurar casos de corrupção

Restrição

Pelo menos 19 países e a União Europeia suspenderam total ou parcialmente as importações de carnes brasileiras após o anúncio da Operação Carne Fraca. Outros quatro nações, entre elas os Estados Unidos, reforçaram o controle sanitário para entrada do produto brasileiro.

As investigações da PF apontam a existência de esquema criminoso que envolve empresários do agronegócio e fiscais agropecuários que facilitavam a emissão de certificados sanitários para alimentos inadequados para o consumo.

Governo brasileiro

Em nota oficial, o governo brasileiro informou que os governos do Egito e do Chile decidiram normalizar as importações de carne após receberem todos os esclarecimentos e as informações técnicas transmitidas pelas autoridades competentes brasileiras.

A informação ainda agradecia o gesto de “confiança e amizade”. "O governo renova seu interesse em reforçar ainda mais os laços históricos mantidos com ambos os países e reafirma sua inequívoca disposição em seguir transmitindo a nossos parceiros comerciais ao redor do mundo todas as informações sobre a segurança dos alimentos produzidos no Brasil.”

*Com informações da Agência Brasil

Leia também: Em trocadilho, Temer diz que carne nacional não é fraca, mas "a melhor do mundo"