Tamanho do texto

Para garantir o equilíbrio, Infraero deve demitir funcionários e até mesmo substituir por máquinas algumas funções atualmente feitas por pessoas

Brasil Econômico

Todos os aeroportos participantes do leilão programado para a próxima quinta-feira (16) obtiveram lucro no ano de 2015, segundo dados da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero).

Leia também: Governo vai leiloar quatro aeroportos à iniciativa privada nesta semana

O leilão tem como intuito trazer melhoria aos passageiros e equilíbrio às contas da Infraero . A receita registrada pelo aeroporto de Porto Alegre foi de R$ 89,9 milhões, enquanto que no de Salvador o lucro foi de R$ 85,6 milhões.

Ubatuba - Aeroporto Estadual Gastão Madeira: Infraero: todos os aeroportos que serão leiloados foram responsáveis por receitas positivas em 2015
Divulgação
Ubatuba - Aeroporto Estadual Gastão Madeira: Infraero: todos os aeroportos que serão leiloados foram responsáveis por receitas positivas em 2015

Embora os resultados de Fortaleza e de Florianópolis tenham sido mais tímidos, os aeroportos dessas regiões foram responsáveis por comporem o sexto e o oitavo superavites mais altos para a estatal. Sendo respectivamente de, R$ 55,3 milhões e R$ 35 milhões.

Leia também: Anac continua com disputa judicial para autorizar cobrança por bagagens

Demissões

Em pronunciamento, o presidente da estatal, Antônio Claret, revelou as outras medidas que serão agregadas pela empresa nos próximos tempos para conseguir resultados positivos. Uma vez que a receita da Infraero poderá ser reduzida em mais de 20%.

Embora a atual expectativa seja que o número de funcionários caia de 10,9 mil para 7,5 mil, é possível que a meta seja ampliada, disse o presidente. E como o corte expressivo de trabalhadores pode comprometer o funcionamento dos aeroportos, Claret admitiu a possibilidade de investimentos em máquinas para as funções inicialmente prejudicadas.

Além disso, em vez de efetuar contratos diretos com trabalhadores, o presidente pretende terceirizar serviços, como por exemplo, o de movimentação de cargas. Atualmente há 75 projetos de grupos privados para atender a demanda.

A fim de garantir o desligamento de mais de 2 mil funcionários, a estatal tem como intuito colocar em prática a Infraero Serviços no Brasil e no exterior. A empresa também vai abrir mão da atuação em navegação aérea, a qual será responsabilidade da Aeronáutica.

Se todas as medidas atenderem às expectativas de Antônio Claret é possível que em um prazo de apenas cinco anos as receitas da estatal tenham um faturamento total de R$ 1 bilhão. Outra projeção é a independência do governo federal em um prazo de dois anos.

Como o quadro atual da Infraero é de defict, a empresa mantém seus compromissos e garante sua funcionalidade com a ajuda da União.

Leia também: Anac: Cobrança pelo despacho de bagagens vira disputa judicial