Brasil Econômico

undefined
Divulgação
Serviços da Azul serão os mesmos independente da categoria escolhida e, consequentemente, dos valores pagos

A companhia aérea Azul afirmou, nesta quinta-feira (9), que seguirá oferecendo a franquia de bagagens de 23 kg em seus voos domésticos e que os valores das passagens continuarão sendo os mesmos praticados atualmente.

Leia também: MPF pede anulação de norma da Anac sobre cobrança no despacho de bagagens

Além de não cobrar valores extras pelo transporte de bagagens, a companhia também afirmou que terá uma nova opção de tarifa, em que serão cobrados preços mais baixos para quem optar por não despachar malas. A medida será introduzida gradativamente para os mercados onde a companhia opera no Brasil, a partir da próxima terça-feira (14). A empresa disse ainda que passa a valer a regra para embarque com bagagens de mão de até 10 kg em todos os voos da empresa.

“Continuaremos com os mesmos serviços, a mesma franquia de 23kg de bagagem e as mesmas facilidades que temos hoje. Nosso diferencial é que, em alguns voos, nossos clientes poderão optar por uma tarifa mais barata ao não despachar suas bagagens” destaca Antonoaldo Neves, presidente da Azul. “Com a nova regra para as bagagens de mão, que também passa a vigorar na próxima terça-feira, ficará ainda mais fácil para o Cliente economizar, pois poderá levar o dobro de peso na comparação com os atuais 5 kg” completa Neves.

Leia também: Nota Fiscal Paulista diminui restituição e ganha aplicativo de consulta

Entenda como vai funcionar

As passagens da Azul agora serão classificadas em duas categorias, a MaisAzul e a Azul. Na categoria MaisAzul, o cliente continuará pagando as tarifas atuais, mantendo a franquia de 23 kg de bagagem. O consumidor ainda poderá levar o dobro do peso que levava antes na bagagem de mão.

Caso a escolha seja pela modalidade Azul, o cliente vai pagar mais barato pela passagem na comparação com a tarifa MaisAzul, podendo escolher pela compra do serviço de bagagem despachada.

Leia também: Preço da refeição tem crescimento de 7,5% no Sudeste, aponta pesquisa

Nessa categoria, se o consumidor mudar de ideia e preferir despachar as malas, ele poderá incluir os 23 kg de bagagem, a qualquer momento, por apenas R$ 30,00. Ultrapassando a cota de 23 kg, serão mantidos os valores atuais na cobrança por quilo excedente. A companhia faz questão de ressaltar que que, em ambas as categorias, todos os serviços atualmente oferecidos pela Azul serão mantidos.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários