Tamanho do texto

O estudo elaborado pela Serasa Experian também apontou que houve uma alta considerável de 3,9% no número de MEIs no ano passado

Brasil Econômico

Nesta quarta-feira (8) a Serasa Experian realizou um balanço onde foi apontado que as mulheres são responsáveis por 47% das ações de empreendedorismo iniciadas em 2016.

Leia também: Do escritório às pistas de aviação: conheça histórias inspiradoras de mulheres

Empreendedorismo: praticamente metade dos negócios abertos de 2016 tem a participação feminina
shutterstock
Empreendedorismo: praticamente metade dos negócios abertos de 2016 tem a participação feminina

Segundo o Indicador Serasa Experian de Nascimento de Empresas, entre janeiro e dezembro do ano passado foram criadas 1.976.534 negócios  – maior número registrado sobre ações de  empreendedorismo desde 2010.

De acordo com os economistas da instituição, a alta se deve pela necessidade. O aumento do número de desempregados e a insuficiência de recursos financeiros foram os fatores que mais contribuíram para a variação positiva do indicador.

MEIs

Outro balanço apurado pela Serasa Experian diz respeito ao número de novos Microempreendedores Individuais (MEIs). Se em 2015 foram computados pouco mais de 1,4 milhão de novos negócios, em 2016, o registro foi de 1.548.950, o que significa uma alta de 3,9%.

Um setor que apresentou queda foram o das Sociedades Limitadas. O recuo foi considerável, uma vez que foi de 11,3% em relação ao ano anterior. Entretanto, o maior retrocesso foi na criação de Empresas Individuais, que apresentou variação negativa de 19,8% no comparativo com 2015, quando a soma foi de mais de 167 mil novos empreendimentos.

A onda de formalização de negócios no Brasil é a responsável pela alta constante das MEIs. Para se ter uma ideia, em apenas sete anos, essa categoria passou de menos da metade dos novos empreendimentos, para 78,4%.

Leia também: Equiparação de salário entre homens e mulheres injetaria R$ 461 bi na economia

Serviços

De acordo com a Serasa Experian, a categoria de serviços ainda é o mais procurado por quem tem o desejo de abrir o próprio negócio. A Serasa Experian apurou que 62,7% do total das novas empresas são desse setor. Logo em seguida, vem o comércio e a indústria com respectivamente, 28,8% e 8,2%.

Ramo de atividade

Entre as quase 2 milhões de empresas abertas em 2016, 8,5% do total foram de serviços de alimentação. Já o segundo maior ramo dos empreendedores é o setor de reparação e manutenção de prédios e instalações elétricas, que representa 7,2%.

No terceiro lugar do ranking aparece a área de comércio de confecções em geral, que está apenas 0,1 ponto percentual atrás do segundo colocado. O setor de higiene e embelezamento pessoal somou 6,7% da participação total. E em quinto lugar está o comércio varejista de gêneros alimentícios, com 4,2%. Vale ressaltar que apenas essas cinco categorias listadas concentram 35% dos novos estabelecimentos.

Onde

A pesquisa mostra também que o Sudeste é a região que mais abre negócios do País, uma vez que somente esta região representa 51,9% do total das empresas abertas em 2016.

Logo em seguida no ranking vem o Nordeste e o Sul, com participação de 16,8%. Já o Centro-Oeste e o Norte tiveram participações respectivas de, 8,7% e 4,8%.  

A divisão por estado deixa a divergência ainda mais evidente. Se o primeiro colocado é São Paulo com 555.783 novos empreendedorismos em 2016, na última posição está Roraima, com 2.980.

Leia também: Veja sete eventos sobre empreendedorismo feminino

    Leia tudo sobre: empreendedorismo