Tamanho do texto

De acordo com CEO da Elfus, é preciso conhecer a demanda da empresa para que as ferramentas gerenciais sejam bem utilizadas e gerem ganhos e lucro

Brasil Econômico

Para que as ferramentas gerenciais sejam bem utilizadas, é importante investir na comunicação com o público interno das empresas
iStock
Para que as ferramentas gerenciais sejam bem utilizadas, é importante investir na comunicação com o público interno das empresas

Ferramentas gerenciais como lean startup, business model canvas, inbound marketing, entre outras, tem se tornando muito frequentes no processo de potencialização de soluções em empresas de diversos segmentos. Porém, é preciso se manter atento para que o investimento financeiro em aplicativos e softwares como esses não seja feito em situações erradas e sem uma analise detalhada do que a empresa realmente necessita no momento.

LEIA MAIS: Mercado estima inflação abaixo da meta de 4,5% e Selic de 12,25% ao ano

“É preciso efetivamente diagnosticar a realidade organizacional e entender de que maneira as ferramentas gerenciais ou de gestão poderiam ajudar. Este processo de seleção é essencial”, afirmou a CEO da Elfus, consultoria em gestão organizacional e especialista em negócios educacionais, Eline Cavalcanti.

Para ajudar empresas a tomarem a decisão correta na hora de escolher esses recursos, a executiva separou quatro dicas para análise e escolha de implantação dessas ferramentas em instituições de diferentes áreas. 

1. Diagnóstico

Antes de escolher algumas das soluções oferecidas pelo mercado, é importante que o problema presente na instituição tenha sido identificado. Para isso, uma opção é fazer um diagnóstico detalhado, para que a implementação dessa ferramenta seja um investimento e não mais um custo para a empresa.

LEIA MAIS: Intenção de investimento entre os MPEs cresceu 12,3% em janeiro, diz SPC Brasil

2. Ajustes

Não compare sua realidade organizacional com as de outras empresas. Durante o processo de diagnóstico, procure se lembrar que cada caso é um caso e que determinada ferramenta pode precisar de ajustes para que o funcionamento seja efetivo e que bons resultados sejam alcançados. 

3. Comunicação

Insira sua equipe neste processo de implementação. Não adianta investir tempo e dinheiro na escolha de uma ferramenta de gestão sem o engajamento dos funcionários.  Portanto, busque investir também em uma boa comunicação junto ao público interno para que o uso do software ou aplicativo seja um bônus para todos.

4. Parametrização

De acordo com Eline, além de acompanhar de perto a inserção das ferramentas, é fundamental que o gestor organizacional meça constantemente o retorno sobre investimento (ROI) e parametrize o processo. “Os desafios organizacionais que encaramos no dia a dia são muito complexos para negligenciarmos a forma como selecionamos e aplicamos as ferramentas gerenciais”.

LEIA MAIS: Dúvidas sobre o FGTS? Caixa Econômica funcionará em quatro sábados até julho

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.