Brasil Econômico

undefined
iStock
Receita Federal informa que brasileiros residentes de forma legal no exterior tem que declarar situação


Em breve a Receita Federal libera o acesso ao programa para entrega da declaração do Imposto de Renda 2017, porém quem está fora do País, a trabalho ou estudo, por exemplo, tem até o dia 28 de fevereiro para informar a situação.

 LEIA MAIS: Receita Federal libera calendário para declaração do imposto de renda; confira

Segundo a especialista em legislação tributária do Brasil e dos Estados Unidos, Melissa Fernanda, deve entregar a declaração a Receita Federal apenas as pessoas que deixaram o País de forma definitiva. “É fundamental que os expatriados – pessoas que residem legalmente em outro país – apresentem Comunicação de Saída Definitiva do País dentro do prazo”, disse.

Melissa explicou ainda que a entrega desse documento, o de Comunicação de Saída Permanente do Brasil, este ano envolve pessoas que no ano passado, em 2016, saíram de forma legal do Brasil.  Quem deixou o país em 2015 de forma temporária e ficou ausente por, no mínimo, 12 meses consecutivos também deve cumprir a obrigação.

“Na primeira situação, o prazo para enviar à Receita começa na data em que o indivíduo saiu do país. Já no segundo caso, conta-se a partir do dia seguinte àquele em que se completou um ano de ausência, quando o indivíduo se torna não residente”, explicou a especialista.

Declaração de Saída Definitiva 

A Comunicação de Saída Definitiva não pode ser confundida com outra obrigação fiscal importante para aqueles que residem no exterior, de nome parecido: a Declaração de Saída Definitiva, que deve ser apresentada entre o primeiro dia útil de março e o último dia útil de abril do ano posterior ao da saída definitiva ou da caracterização da condição de não residente.

LEIA MAIS: Antecedência é o segredo para não cair na malha fina do Imposto de Renda

“A Declaração de Saída Definitiva é independente da Comunicação de Saída Definitiva, e é obrigatório o envio de ambos os documentos”, ressalta Fernandes. Deixar de entregá-los expõe ao fisco brasileiro os rendimentos provenientes de fontes situadas no Brasil e no exterior. O cidadão ficaria, então, obrigado a enviar a Declaração de Ajuste Anual como se fosse residente no Brasil.

 Não entrega

Se a Declaração de Saída Definitiva for entregue com atraso, as penalidades são iguais às da Declaração de Ajuste Anual: multa de 1% ao mês ou fração de atraso sobre o imposto de renda devido. O valor mínimo é de 165,74 reais e o máximo é de 20% do imposto devido, valores esses estipulados pela Receita Federal. “O expatriado que apresentar a Comunicação e a Declaração à Receita não precisa cumprir as obrigações novamente enquanto permanecer no exterior nem declarar o Imposto de Renda no Brasil”, acrescenta a consultora.

LEIA MAIS: Tabela do Imposto de Renda será corrigida em 5% em 2017

    Veja Também

      Mostrar mais