Tamanho do texto

Nas compras quem mais se destaca é a Arábia Saudita, que gastou mais de US$ 185 milhões; o item mais comprado pelo país é a carne

Brasil Econômico

Janeiro de 2017 registrou crescimento de 13,5% na receita de exportação brasileira para o mercado árabe. O balanço, realizado com dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic), apontou uma soma de US$ 936,4 milhões às contas nacionais com as vendas internacionais no período. 

LEIA MAIS: Vendas no varejo amargam queda de 6,2% em 2016, aponta IBGE

Arábia Saudita é o país árabe que mais compra carne do Brasil
shutterstock
Arábia Saudita é o país árabe que mais compra carne do Brasil

Os dados compilados pela Câmara de Comércio Árabe Brasileira ainda revelam que os principais responsáveis pela exportação  é a Arábia Saudita, que gastou mais de US$ 185 milhões no País. Os Emirados Árabes Unidos fizeram compras de US$ 183,5 milhões e posteriormente, a Argélia, Omã e o Marrocos, nos valores respectivos de US$ 136,2 milhões, US$ 71,8 milhões e US$ 66,4 milhões.

Justificativa

O item mais vendido aos países árabes foi o açúcar, que teve crescimento de 121% em seu faturamento. Paralelamente a isso, o volume também obteve alta, mas de 43%. O principal comprador do produto, de acordo com a apuração foram os Emirados, que também foi o país que mais comprou minério.

As carnes – tanto bovina quanto aviária – são o segundo item mais comercializado, principalmente à Arábia Saudita. O setor foi responsável pelo crescimento de 10% nos valores. Entretanto, a quantidade caiu 3,5%. Já o minério, obteve alta em suas vendas de 163% e 95% a mais de embarques.

O diretor-geral da Câmara Árabe, Michel Alaby, explica que como esses produtos tiveram aumento em seu preço de um ano para cá, o que fez com que a receita nacional pudesse ser variada positivamente.

LEIA MAIS: Clima econômico na América Latina recua para 69 pontos, registra FGV

Omã

Se até janeiro de 2016 o Omã comprava apenas US$ 7,5 milhões em minérios e seus concentrados, no mesmo período de 2017, os valores passaram para US$ 47,6 milhões. Vale ressaltar que a companhia brasileira Vale tem uma usina de pelotização de minério de ferro e importa a matéria-prima do Brasil.

Importação

Se por um lado o Brasil vende mais aos países árabes, por outro também compra mais deles. Somente em janeiro de 2017, as importações cresceram 138%, com gastos superiores a US$ 658,7 milhões, sendo que no mesmo período de 2016, os valores não ultrapassavam US$ 276,7 milhões.

Entre os produtos que o Brasil importa dos países árabes são fertilizantes e petróleo - mais derivados. E os maiores fornecedores são respectivamente, Argélia, Arábia Saudita (principal cliente de exportação), Marrocos, Kuwait e Catar.

LEIA MAIS: Situação financeira melhora para 34% dos brasileiros em 2017, diz pesquisa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.