Tamanho do texto

Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) apontou crescimento de 17,4% na produção de grãos de 2017; produção de soja pode crescer 10,6%

Brasil Econômico

De acordo com a Conab, a  primeira safra de feijão deve apresentar um resultado 36,7% maior do que em relação à safra passada
iStock
De acordo com a Conab, a primeira safra de feijão deve apresentar um resultado 36,7% maior do que em relação à safra passada

Um levantamento divulgado nesta quinta-feira (9) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estima que a produção de grãos deve crescer 17,4% na safra de 2016/2017. Se comparada a safra anterior, o crescimento foi de 32,5 milhões de tonelada, podendo bater o recorde  de 219 milhões de toneladas este ano.

LEIA MAIS: Índice do Custo de Vida em São Paulo sobe 1,04% em janeiro, segundo Dieese

De acordo com a Conab , a expectativa positiva é consequência do aumento na produtividade média das culturas abrangentes a recuperação das condições climáticas que impactaram de forma desfavorável a safra anterior.  É importante ressaltar que a pesquisa também inclui a área de culturas de segunda safra, com 2,1% de perspectivas de ampliação da área total, podendo chegar a 59,5 milhões de hectares em relação à safra de 2015/2016.

Projeções

A projeção é que a produção de soja cresça 10,6%, alcançando o recorde de 105,6 milhões de toneladas e com ampliação de 1,6% da área produtiva.  Já o milho deve atingir 87,4 milhões de toneladas, sendo 28,8 milhões da primeira safra e 58,5 milhões da segunda. Enquanto a área total deve ultrapassar a ampliação de 11 milhões de hectares. Contudo, a segunda safra de milho pode sofrer alterações, já que ainda está sendo plantada.

 “Nas últimas dez safras, a soja cresceu 58,5% em área e 11% em produtividade. Já no caso do milho, a área cresceu 11,8% e a produtividade 33,2%, em dez safras. E para o milho ainda há tecnologia para suportar o crescimento de produtividade”, afirmou o superintendente de Informações do Agronegócio da Conab, Aroldo de Oliveira Neto, sobre o recorde de produção de soja ser consequência do aumento da área e não da produtividade.

LEIA MAIS: Ceagesp aponta queda de 4,57% no preço de legumes e verduras em janeiro

Estimativa desagregada

A primeira safra de feijão deve apresentar um resultado 36,7% maior em relação à safra passada, com 1,4 milhão de toneladas, sendo 861, 6 mil do tipo carioca, 319,4 do tipo preto e 232,5 mil toneladas do tipo caupi.

Já o algodão pluma pode apresentar crescimento de 10,3% e chegar a 1,42 milhão de toneladas, mesmo com 4,5% da área cultivada reduzida. A redução nas áreas de algodão e arroz pode ser justificada pelo maior cultivo de soja, o que não ocorreu com as demais culturas de primeira safra.

Pela primeira vez, a Conab apresentou uma estimativa desagregada da produção de arroz cultivado nos sistemas sequeiros e irrigados, além de resultados que mostram a expansão da irrigação no Brasil e sua importância para as safras de grãos.

Segundo o superintendente da Conab, a previsão é que a produção de arroz aumente 11, 9%, com um total de 11,9 milhões de toneladas, sendo 1,1 milhão de toneladas de sequeiro e 10,8 milhões de irrigado. “Todos os estados cresceram na utilização da irrigação, ela dobra e até triplica a produção. Bem utilizada pode trazer muitos benefícios para a agricultura”.

*Com informações da Agência Brasil

LEIA MAIS: Indicadores de preços ao consumidor e do aluguel caem em fevereiro, diz FGV


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.