Brasil Econômico

Brasil Econômico

undefined
shutterstock
Dados da FGV evidenciaram alta de 0,36 ponto percentual no Índice de Preços ao Consumidor (IPC)

Resultado do Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP –DI) divulgados nesta terça-feira (7) pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV), apontou uma desaceleração de preços no mês de janeiro, com variação de 0,43%.  A desaceleração chegou a 0,4 ponto percentual se comparada a dezembro de 2016, quando o índice registrou 0,83%. Em relação aos últimos 12 meses, o IGP-DI acumulou 6,02%.

LEIA MAIS: Intenção de Consumo de Famílias atinge maior patamar desde junho de 2015

De acordo com a FGV , a desaceleração do índice observada em dezembro foi ocasionada pela variação dos preços ao produtor, já que preços ao consumidor e preços relativos a construção civil terminaram o mês em alta. Vale ressaltar que os resultados abrangem os preços coletados entre os dias 1 e 31 de janeiro e que nesse mesmo período de 2016, o IGP-DI apresentou variação de 1,53%.

IPA

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) encerrou janeiro variando 0,34%, retração de 0,76 ponto percentual em comparação a variação de 1,1% registrada em dezembro do ano passado.

A retração dos preços ao produtor representa a queda em dois dos três índices que integram o IPA. O item bens finais apresentou diminuição nos preços, ao passar de um aumento de 0,24% para uma inflação invertida de 0,61% em janeiro. Já o grupo matérias-primas brutas caiu 1,4 ponto percentual, indo de 2,08% em dezembro para 0,24% em janeiro. Em contrapartida, os preços do grupo bens intermediários aumentou 0,36 ponto percentual, indo de 1,11% para 1,47% no mesmo período.

LEIA MAIS: Expectativa de emprego registra melhor nível desde 2010, aponta FGV

IPC

Em janeiro, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) aumentou 0,36 ponto percentual, com variação de 0,69%, ante os 0,33% obtido em dezembro. Com isso, contribuiu para os acréscimos nos preços de quatro das oito classes de despesas que compõem o IPC.  

O grupo que mais auxiliou no aumento do índice foi educação, leitura e recreação, que passou de 0,95% para 4,15%. O item cursos formais foi o maior destaque da classe de despesa, indo de 0,00% para 9,80%. 

A FGV também evidenciou quedas no índice, como é o caso do grupo saúde e cuidados pessoais, que passou de 0,71% para 0,35%, assim como vestuário, indo de 0,73% para -0,27%. Despesas diversas e alimentação também decaíram de 1,50% para 0,39% e de 0,44% para 0,39%, respectivamente.

*Com informações da Agência Brasil

LEIA MAIS: Ceagesp aponta queda de 4,57% no preço de legumes e verduras em janeiro

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários