Tamanho do texto

No acumulado do ano os preços ficaram, em média, 3,92% em São Paulo. Porém, é esperado que em fevereiro os insumos apresentem alta nos preços

Pesquisa realizada pela Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) apontou que os hortifrutigranjeiros comercializados no local tiveram queda nos preços de 4,57% em média. No acumulado de 12 meses os insumos apresentaram retração de 3,92% nos preços.

LEIA MAIS:  Anvisa encontra pelo de rato e inseto em lotes de canela em pó

Ceagesp aponta queda de 4,57% no preço de legumes e verduras em janeiro
Divulgação
Ceagesp aponta queda de 4,57% no preço de legumes e verduras em janeiro


A previsão para o mês de fevereiro é que os produtos fiquem mais caros ao consumidor, já que as chuvas, que se concentraram no final de janeiro, afetaram a produção de verduras e legumes, informou a Ceagesp .

Segundo o economista da Companhia, Flávio Godas, esse influencia das chuvas é comum nos dois primeiros meses do ano. “Essa elevação prevista é uma situação absolutamente normal para o verão, que se caracteriza pelo excesso de chuvas e altas temperaturas, conjunto extremamente prejudicial para a produção de hortaliças”, disse em nota.

Outro ponto observado por Godas, que também tem influência sobre o preço das verduras e legumes, é que no verão a procura por esses produtos tem aumento na demanda. “A busca por alimentos mais leves e saudáveis se intensifica no verão”.

LEIA MAIS: Antes elogiada pelo atendimento, Uber é uma das empresas mais reclamadas do País

Balanço

O levantamento mostra que, no início de janeiro, as cotações de diversos produtos recuaram abaixo do custo de produção e, diante da queda, vários produtores rurais optaram pelo descarte ainda na lavoura. Entre os itens estão o tomate, batata e verduras.

Preços em queda

A Ceagesp apontou que o segmento de frutas teve queda de 8,15% nos preços em janeiro. A explicação para o fato é que, em janeiro tem uma leve queda da demanda, que fica aquecida em dezembro devido às festas de Natal e Ano Novo. Apesar disso, a companhia alerta que os valores já começaram a cair mesmo em dezembro.

Os produtos que mais tiveram redução de preço foram: limão taiti que apresentou queda no período de 57,1%, abacate 50,2% mais barato, carambola com recuo no preço na ordem de 36,8%, mamão formosa  com redução de 33,7% e a  uva niagara  que ficou 26,8% mais barata.

Em contrapartida, o coco verde teve alta de 47,3%, o abacaxi pérola de 17,65 e o maracujá azedo ficou 13,6% mais caro ao consumidor.

Legumes

No setor de legumes, a Ceagesp apurou que os valores tiveram diminuição de 4,43% no período pesquisado. O destaque nessa tendência de queda ficou com o pimentão amarelo que teve retração no preço de 46%; seguido do pimentão vermelho 38,7% mais barato; a mandioquinha com queda de 27,4%; o tomate que já foi vilão teve queda de 21,2% e a batata doce de 15,8%.

Porém, alguns legumes tiveram alta no preço com destaque para o chuchu  que ficou 60,3%, a berinjela  com preço 38,8% maior, o pepino comum 31,1% mais caro, a abobrinha brasileira  que teve alta no preço na ordem de 22,2% e a abobrinha italiana  que ficou 16,5% mais cara ao consumidor .

 *Com informações da Agência Brasil 

LEIA MAIS: Cinco das sete capitais avaliadas registraram alta nos preços, diz Ibre-FGV