Tamanho do texto

Segundo especialista em negócios, aplicativos, sites e softwares podem contribuir para a organização, otimização e produtividade da empresa

Brasil Econômico

De acordo com informações da SAP Consultoria,  tecnologia da informação é o setor mais adepto a métodos online e home office,  com 19,2%,
iStock
De acordo com informações da SAP Consultoria, tecnologia da informação é o setor mais adepto a métodos online e home office, com 19,2%,

Pesquisa divulgada pela empresa de tecnologia Citrix mostrou que nos próximos três anos, a estimativa é de que 90% das empresas se tornem adeptas a modelos de trabalho com funcionários à distância. Os setores que mais aderem as politicas de home office, segundo a SAP Consultoria, são os segmentos de tecnologia da informação com 19,2% das empresas adeptas ao sistema. Na sequência aparece o segmento de pesquisa e desenvolvimento com 15,4%; químico e petroquímica e autoindústria com 10,2% e setor de bens de consumo com 7,7%.


LEIA MAIS: E-commerce cresce no segundo semestre e faz tentativas de fraudes caírem em 2016

Com esse número crescente de empresas que tem colaboradores que trabalham de casa, o especialista em negócios online e autor do livro “Empreenda Sem Fronteiras”, Bruno Pinheiro, separou três dicas para ajudar empreendedores que pretendem gerir uma equipe usando métodos online, auxiliando também na produtividade e no uso de tecnologias para o desenvolvimento de projetos.

1.  Organização

Um empreendedor ou gestor online deve se manter atento as tarefas executadas por colaboradores da empresa. Por isso, é importante manter a organização para que todas as atividades consigam ser devidamente distribuídas, feitas e cobradas. De acordo com o especialista, existem diversos softwares que podem colaborar na gestão online, como o Trello, que opera na atuação de trabalhos em equipe.

“É extremamente importante que uma metodologia seja seguida, pois os processos são extremamente importantes, e no caso deste software, o conceito Kanban - palavra de origem japonesa que significa cartão de sinalização - é seguido, dando uma agilidade ainda maior”, explica Pinheiro.

LEIA MAIS: Veja 10 dicas de como utilizar big data para alavancar negócios

2.  Acesso facilitado

Era muito comum que o compartilhamento de arquivos fosse feito de uma matriz que só podia ser acessada na própria empresa. Porém,  as coisas mudaram e diversos aplicativos e sites já disponibilizam arquivos com acesso facilitado. O goolge docs, por exemplo, é uma ferramenta conhecida que permite o upload de arquivos do desktop para a nuvem, além de possibilitar uma edição compartilhada.  “É possível editar o mesmo texto com mais dez pessoas, ao mesmo tempo. A plataforma é tão intuitiva quanto o pacote Office”, afirma o especialista.

3. Produtividade

Reuniões em equipe costumam demandar tempo, muitas vezes reduzindo a produtividade dos funcionários. Porém para muitos empresários são vistas como um “mal necessário”, já que são nesses encontros que acontecem a troca de ideias. Pensando nisso, diversos métodos online como o MindMeinster foram criados a fim de organizar ideias e contribuir na otimização de tempo da equipe. Para o especialista, com as possibilidades sendo armazenadas em apenas uma plataforma, fica mais fácil de desenvolvê-las e organizá-las. “Ao se organizar desta forma, com um mapa mental à disposição, seja um rascunho ou um resultado final poderão ser acompanhados por toda a equipe, seja onde cada um estiver”, conclui.

LEIA MAIS: Expectativa de emprego registra melhor nível desde 2010, aponta FGV

    Leia tudo sobre: empreendedorismo