Tamanho do texto

Antes de tudo, é importante ter certeza de que o empréstimo é a melhor opção; medida é recomendada para rotativo do cartão e cheque especial

É importante conhecer suas condições de pagamento antes de pegar um empréstimo
iStock
É importante conhecer suas condições de pagamento antes de pegar um empréstimo

Por conta da recessão econômica no Brasil, é comum que muitas pessoas estejam com dificuldades para honrar com todos os seus compromissos. Afinal, os preços subiram, os salários diminuíram, as taxas de desemprego são as mais altas da história e as dívidas estão mais altas. O empréstimo, então, surge como uma das soluções que as pessoas costumam procurar para desafogar suas contas.

LEIA MAIS: Demanda por cupons de desconto gera R$ 500 milhões ao e-commerce

No entanto, para evitar ter dores de cabeça no processo de tomada de crédito – como as fraudes, por exemplo –, é necessário considerar muitos fatores, sempre buscando as melhores taxas na hora de contratar um empréstimo para pagar dívidas.

Fundador e CEO da Lendico, Marcelo Ciampolini, dá dicas para tomar este tipo de crédito. Ele acredita que o primeiro passo seja simular a contratação do crédito no próprio site do banco em que o consumidor é cliente. "Somente de posse dessa proposta será possível saber se as condições oferecidas pelas demais instituições financeiras realmente valem à pena. Esse deve ser o primeiro passo", diz.

LEIA MAIS: E-commerce cresce no segundo semestre e faz tentativas de fraudes caírem

Em relação aos demais bancos, Ciampolini explica que, para descobrir as taxas sem precisar se locomover até uma agência, o consumidor pode usar o site do Banco Central (BC): "Lá é possível pesquisar o Custo Efetivo Total (CET) cobrado em cada linha de crédito e por cada banco. A partir daí, a comparação entre o crédito pessoal oferecido pelos bancos e pelas plataformas 100% online será justa e confiável, permitindo ao consumidor tomar a melhor decisão".

Após a comparação das taxas, é preciso seguir três passos importantes. Confira:

1) Tenha certeza que vale a pena

Tomar crédito nem sempre é a melhor solução. A medida é recomendada quando você tem uma dívida com taxa de juros muito alta, como rotativo do cartão de crédito ou cheque especial, por exemplo. Nestes casos a troca de dívida pode compensar. No entanto, é indispensável fazer a comparação das taxas, pois isso vai dizer se é realmente a melhor opção.

2) Faça a análise e organização das finanças

É importante que, antes de tomar crédito, o consumidor faça uma planilha em que deixará registrados todos os ganhos despesas e dívidas. Com estas informações visíveis, você saberá quais são suas condições de pagar uma dívida sem pegar empréstimos e também, se for realmente necessário pegar um, quanto precisa e quais suas condições de pagamento.

LEIA MAIS: Janeiro tem queda de 25% na venda de automóveis, diz Fenabrave

3) Conheça suas condições de pagamento

Não basta dizer que você precisa de um empréstimo. É necessário saber quanto você tem disponível por mês para pagar as prestações. Com isso em ment,e poderá fazer as simulações e saber quanto de crédito você consegue e as prestações que cabem em seu orçamento.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.