Brasil Econômico

O Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M)  medido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV)  registrou alta de 6,65% em 12 meses até janeiro. Divulgado nesta segunda-feira (30) o IGP-M mede as variações do preço dos aluguéis no mercado brasileiro. 

LEIA MAIS: Gastos com juros podem cair pela metade com nova regra do cartão de crédito

O Índice Geral de Preços - Mercado é medido sobre os preços coletados entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência
Reprodução
O Índice Geral de Preços - Mercado é medido sobre os preços coletados entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência

De acordo com a Fundação, o mês de janeiro apresentou alta de 0,64%, ou seja, 0,10 ponto percentual a mais do que o mês anterior, quando a alta foi de 0,54%. Os índices, quando comparados a janeiro de 2016, mostram diferença ainda é maior, quando o índice chegou a 1,14%.

IPA

Outro indicador apurado pela FGV foi o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), o qual apresentou alta de 0,70%, ou seja, 0,1 ponto percentual a mais do que a taxa calculada em dezembro. O principal impulsionador pela alta tênue foi o subgrupo alimentos processados, que variou de -0,15% para 0,39%.

O grupo de bens intermediários sofreu um reajuste de 1,05%, o que é superior a dezembro, quando o resultado foi de 0,53%. Segundo a Fundação Getúlio Vargas, o subgrupo dos combustíveis e lubrificantes para a produção foi o principal responsável pelo resultado do setor, pois registrou variação de -0,51% para 5,70%.

Soja em grão, minério de ferro e aves foram os itens que mais contribuíram para a variação de 0,91% em janeiro das matérias-primas brutas. O balanço aponta respectivamente para as variações de: 0,38% para -4,20%; 17,53% para 13,08% e de -0,76% para -3,73%. De acordo com a Instituição de ensino, o mês de dezembro registrou variação de 1,96%.

Você viu?

Na contramão estão o milho em grão (-6,17% para -4,30%), o leite in natura (-6,34% para -1,78%) e o minério de alumínio (-1,16% para 5,36%).

LEIA MAIS: Volume de vendas do varejo tem queda de 7,2% em novembro, aponta ACSP

Consumidor

A conta de luz residencial apresentou variação de -5,42% para -1,61%. Tal resultado – do grupo habitação - segundo a FGV contribuiu para que o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) registrasse variação de 0,20% em dezembro, para 0,64% em janeiro. De acordo com o balanço, o grupo sofreu um reajuste de -0,62% para 0,10%.

Mais um indicador divulgado nesta segunda-feira foi o Índice Nacional de Custo da Construção, cuja taxa variou de 0,36% (em dezembro) para 0,29% neste mês.

Materiais, equipamentos e serviços apresentou reajuste de 0,30%, ou seja, 0,15 ponto percentual a mais no comparativo com dezembro, quando os números chegaram a 0,15%. Outro grupo apurado foi o de custo de mão de obra, que apontou elevação de 0,28%. Em dezembro de 2016, o grupo teve índice de 0,55%.

LEIA MAIS: Conta de luz não terá cobrança extra em fevereiro, diz Aneel

*Com informações da Agência Brasil

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários