Tamanho do texto

No mês passado, 19.240 novos participantes passaram a fazer parte do programa do Tesouro Nacional; número de investidores chegou a 401,8 mil

Agência Brasil

Títulos mais vendidos pelo Tesouro Nacional em dezembro foram os corrigidos pelo IPCA
Agência Brasil
Títulos mais vendidos pelo Tesouro Nacional em dezembro foram os corrigidos pelo IPCA

A venda de títulos públicos a pessoas físicas somou R$ 1,715 bilhão em dezembro, de acordo com informações divulgadas pelo Tesouro Nacional nesta terça-feira (24). Este valor representa um recorde para os meses de dezembro, além do quarto maior resultado em todo o ano de 2016. O recorde mensal de vendas no ano passado ocorreu em janeiro, com R$ 1,848 bilhão.

LEIA MAIS: Indústria quer renegociação sem juros e multas para aderir a programa do governo

No mês passado, 19.240 novos participantes passaram a fazer parte do programa do Tesouro Nacional , fazendo com que o número de investidores ativos chegasse a 401,8 mil. Nos últimos 12 meses, o total de investidores ativos (que efetivamente possuem aplicações) aumentou em 71,8%.

Os títulos mais vendidos em dezembro foram os corrigidos pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), responsável por medir a inflação oficial. Esses papéis concentraram o total de 51,6% das vendas no mês.

Na segunda colocação entre os mais vendidos ficaram os papéis vinculados à taxa Selic (juros básicos da economia), que responderam por 28% das vendas. Em terceiro, ficaram os títulos prefixados (com juros definidos antecipadamente), que responderam por 20,4% das vendas. Os investimentos de menor valor continuaram a liderar a preferência dos aplicadores. As vendas abaixo de R$ 5 mil concentraram 73,5% do volume aplicado no mês.

LEIA MAIS: Procon-SP encontra irregularidades em lojas de material de construção

Com o resultado registrado em dezembro, o estoque de títulos públicos aplicados no Tesouro Direto subiu 3,7% em relação a julho, assim chegando a R$ 41,1 bilhões e superando a barreira de R$ 40 bilhões pela primeira vez. Isso aconteceu porque o Tesouro resgatou R$ 616,3 milhões no mês passado. A variação do estoque representa a diferença entre as vendas e os resgates, mais o reconhecimento dos juros que incidem sobre os títulos.

Sobre o Tesouro Direto

O Tesouro Direto foi criado com a intenção de popularizar esse tipo de aplicação e permitir que pessoas físicas pudessem adquirir títulos públicos diretamente do Tesouro, via internet, sem intermediação de agentes financeiros. O aplicador só tem de pagar uma taxa à corretora responsável pela custódia dos títulos.

LEIA MAIS: Empresários da construção iniciam 2017 com maiores expectativas, aponta CNI

A venda de títulos é uma das formas que o governo tem de captar recursos para pagar dívidas e honrar compromissos. Em troca, o Tesouro Nacional se compromete a devolver o valor com um adicional que pode variar de acordo com a Selic, índices de inflação, câmbio ou uma taxa definida antecipadamente no caso dos papéis prefixados.