Brasil Econômico

Balanço divulgado nesta terça-feira (24) pela Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo) apontou que a produção de bicicletas foi de 15.245 unidades em dezembro, número esse 77,9% menor que o apurado em novembro, quando foram produzidas 68.850 unidades. Para 2017, a entidade espera recuperação do setor com crescimento de 19% na produção de bicicletas.

LEIA MAIS: Firjan diz que indústria pode perder cerca de R$ 66 bilhões com feriados

undefined
Dilvulgação
Queda na produção de bicicletas foi impulsionada pela economia fraca. Nem as ciclovias animaram os consumidores em comprar bikes


A Abraciclo apurou ainda que, no acumulado do ano passado, saíram das fábricas 669.729 bicicletas , o que representa queda de 11,5% no volume produzido, quando é comparado com 2015, quando foram fabricadas 757.045 bicicletas.

Na comparação com dezembro de 2015 a queda foi ainda mais acentuada, com retração de 191,5%. A entidade explicou que a queda da produção de bicicletas no período é influencia pelas férias coletivas, comuns no final de ano.  “Em 2016, o mercado de bicicletas sofreu uma retração de 11,5% para as fabricantes do Polo Industrial de Manaus devido às dificuldades do contexto econômico nacional. Entretanto, o otimismo em relação à melhora na economia e na estabilidade política do País contribui para prever uma recuperação de volumes no setor em 2017”, afirmou em nota João Ludgero, vice-presidente do segmento de Bicicletas da Abraciclo.

LEIA MAIS: Produção de veículos tem queda de 11,2% em 2016, aponta Anfavea

Vendas

O balanço da Abraciclo apontou que as fabricantes de bicicletas exportaram no ano passado 8.423 unidades. O volume representa aumento de 27,4% nas exportações ao se comparar com 2015, quando foram enviadas a outros países 6.613 unidades.

 Os três principais destinos das bicicletas brasileiras em 2016 foram Paraguai, com 4.192 unidades ante 2.960 unidades em 2015; Bolívia, com 2.962 unidades ante 1.193 unidades; e Uruguai, com 778 unidades ante 1.500 unidades. A maior variação anual envolveu os volumes exportados para a Bolívia, que evoluíram 148,3%.

As empresas brasileiras em geral importaram 135.153 bicicletas no ano passado, o que significou uma queda de 44,4% em relação ao volume importado em 2015 (243.175 unidades), de acordo com levantamento do MDIC analisado pela Abraciclo.

Os três principais fornecedores destes produtos para o mercado brasileiro em 2016 foram China, com 115.841 unidades ante 217.607 unidades no ano anterior; Taiwan, com 11.013 unidades ante 19.197 unidades; e Portugal, com 3.918 unidades ante 947 unidades. O destaque em variação anual foi Portugal, com crescimento de 313,7% nas vendas para o Brasil, de 2015 para 2016.

LEIA MAIS: Produção industrial retoma fôlego em novembro e cresce 0,2%, aponta IBGE

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários