Brasil Econômico

Segundo a pesquisa 'Shopper, Supermercado e Promoção: um ecossistema essencial para marcas durante a crise', elaborada pela Agência 96,  86% dos consumidores brasileiros planejam suas compras e costumam listar os itens necessários, mas apenas 7% seguem a lista rigorosamente.

+Demanda interna por bens industriais ainda é afetada pela recessão, aponta Ipea

Compras: 86% dos clientes elaboram lista, mas apenas 7% cumprem o planejado
EBC
Compras: 86% dos clientes elaboram lista, mas apenas 7% cumprem o planejado

A pesquisa revelou também que são as pessoas de renda mais alta que cumprem à risca os planos de compras , totalizando 11% dos participantes. Os consumidores de maior poder aquisivo têm como hábito fazer compras sozinhos no supermercado e são os que mais pesquisam antes de ir as compras. 

Essa indecisão do consumidor ou falta de controle no momento do gasto, segundo a Pérola Freeman, sócia e diretora da Agência 96, abre margem para que as marcas invistam em ações promocionais e ativação no ponto de venda, uma vez que boa parte dos clientes está disposta a comprar itens fora do planejado. "“Os dados mostram que ainda existe muita compra a ser decidida no PDV, uma boa notícia para as marcas que investem em ações promocionais e ativação no ponto de venda”. 

Companhia

Segundo a pesquisa, embora os homens [desacompanhados] sejam menos estrategistas antes das compras, são eles que seguem grande parte do estabelecido. Os indicadores são respectivamente, 52% e 85%. Já as mulheres são o contrário, planejam mais antes de sair de casa. A pesquisa apurou que 73% delas elaboram uma lista, entretanto, apenas 64% seguem o que está pontuado.

Se você acha que em conjunto o controle é mais fácil, afinal tem alguém te “fiscalizando”, se prepara. O comportamento das famílias é o mais imprevisível de todos.  O levantamento é de que 81% das famílias até levam lista de compras, porém apenas 32% delas seguem o combinado. E quando essa família tem filhos de até 10 anos de idade, o número cai para 20% para cumprir o plano.

Você viu?

+Busca por crédito teve aumento de 3,7% em 2016, menor resultado em cinco anos

Hobbie?

Segundo a Pérola Freeman, uma boa experiência de compra no Ponto de Venda (PDV), ao ponto de ser prazerosa abre margem para que os consumidores conheçam marcas e produtos novos, além de participar de promoções, o que é muito positivo para o mercado.

Entretanto, 61% dos consumidores encaram as compras como uma obrigação. Entre aqueles que acham a atividade prazerosa, os números caem para 39%.  Já 18% dos respondentes da pesquisa pensam que esse é o momento de relaxar, outros 12% que é uma atividade de lazer e 9% encaram como um passatempo.

Não é novidade para ninguém que um dos melhores modos de gastar menos é pesquisando. Mas, mesmo assim, menos da metade dos consumidores, ou seja, 45% dedicam seu tempo a isso.

Mente aberta

Segundo a pesquisa Shopper, Supermercado e Promoção, 43% dos clientes dedicam seu tempo durante as compras para falar com promotoras. E, se os consumidores têm idade entre 46 e 60 anos, o indicador sobre para 53%.

Outro comparativo apurado pela Agência 96 revelou que a classe C é a que mais troca de marca, sendo 25% dela é a que compra mais unidades de um mesmo produto, com 31%. Ao subir a pirâmide social, a pesquisa apurou que os consumidores de alta renda mensal são os que mais abrem a mente para comprar um item novo ou um produto do qual não precisava na hora das compras, sendo respectivamente 31% e 25%.

+CNI, Fecomercio-SP e Força Sindical aprovam redução da taxa Selic

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários