Tamanho do texto

Valor foi reajusta com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) e já está em vigor desde a quarta-feira (12); veja os novos valores

Desde a última quarta-feira (11) o valor máximo da parcela do seguro-desemprego, benefício concedido aos profissionais que foram demitidos sem justa causa, pescadores artesanais em período de defeso, trabalhadores resgatados em condições análogas às de escravidão e profissionais com contrato de trabalho suspenso (lay-off), está reajustado.

+ Desemprego em alta eleva risco de agitação social no Brasil, diz OIT

Valor do seguro-desemprego foi reajustado em 6,58%
iStock
Valor do seguro-desemprego foi reajustado em 6,58%


Aos trabalhadores que ganhavam mais de R$ 2.417,29, o reajuste foi de R$ 101,48 na parcela, passando de R$ 1.542,24 para R$ 1.643,72 este ano. O Ministério do Trabalho e Emprego informou que o cálculo do valor do benefício do seguro-desemprego baseia-se na variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

Em 2016 o INPC apresentou alta de 6,58% e impactou positivamente quem tem direito a receber o seguro-desemprego.  A ajuda para quem está em busca de recolocação pode ser pago de três até cinco parcelas, dependendo do tempo que o trabalhador esteve empregado.

Faixas

Ainda segundo informações do Ministério do trabalho, existem três faixas salarias que são usadas como base na hora de calcular o valor do seguro-desemprego. A primeira  faixa é de quem ganha até R$ 1.450,23. Nesse caso, o salário médio é multiplicado por 0,8 para obter o valor do benefício, que vai variar entre o salário mínimo deste ano, fixado em R$ 937, e R$ 1.160,18.

+ Salário mínimo em 2017 será de R$ 937, reajuste de 6,47%

A segunda faixa é composta por quem recebia entre R$ 1.450,24 e R$ 2.417,29 – o que exceder R$ 1.450,24 será multiplicado por 0,5 e o resultado será somado a R$1.160,18. A última faixa, para quem ganhava mais de R$ 2.417,29, terá o benefício do seguro- desemprego mais alto, de R$1.643,72.

Desemprego

Último indicador que mede o desemprego no País feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apurou que 12,1 milhões de brasileiros estão sem ocupação. Isso representa um índice de 11,9% de pessoas desempregadas no País, dados esses do trimestre encerrado em novembro do ano passado.

Na quarta-feira (12) a Organização Internacional do Trabalho (OIT) informou que em 2017, serão 201,1 milhões de pessoas sem emprego no planeta neste ano. No Brasil a OIT estima que o índice de desemprego chegue a 12,4%, um ponto acima do percentual de 2016. Para 2018, a projeção também é de 12,4%.

+ Governo reduz volume de restos a pagar em R$ 37,5 bilhões, diz Tesouro Nacional