Brasil Econômico

Brasil Econômico

O setor primário brasileiro deve ter crescimento de 15,3% na produção de grãos na safra 2016/2017. A informação é da Companhia Nacional de Abastecimentos (Conab) que  afirmou também que a safra passada, no período 2015/2016, o Brasil teve uma produção de 186,7 milhões de toneladas. Já a próxima produção deve chegar aos 215,3 milhões de toneladas.

+Indústria produz mais, mas confiança do setor volta a cair em dezembro

undefined
Imagem de Arquivo/Agência Brasil
Agronegócio brasileiro tem boas expectativas para a safra 2015/2016

O superintendente de Informações do Agronegócio da Conab, Aroldo de Oliveira, diz estar otimista em relação à próxima safra, uma vez que, até então, o clima não apresentou nenhuma alteração que possa prejudicar a produção do País.

Mesmo sem nenhum problema à vista, Oliveira alerta que o momento agora é de cuidado, pois o agronegócio brasileiro tem necessidades plurais de manutenção.  Como exemplo, ele cita que o arroz precisa de pouca chuva para ter uma boa colheita, por outro lado, o milho demanda uma chuva forte para melhor desenvoltura.

Mais espaço

Outro fator que ajudará os negócios no campo é a incorporação de 11 milhões de hectares ao sistema produtivo. Segundo Neri Geller, secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, a expectativa é continuar avançando nessas inserções de áreas. Existe a estimativa de que seja ampliado 754,6 mil hectares ao agronegócio para a safra 2016/2017, o que significa um acréscimo de 1,3%, informou a Conab. 

+Exportações de industrializados cresceram abaixo do esperado em 2016

Culturas

Uma das maiores apostas da Companhia Nacional de Abastecimentos é o feijão, uma vez que um dos queridinhos do Brasil deve atingir crescimento de 25,7% em relação à safra passada, o que significa 1,3 milhão de toneladas.

O algodão pode ter um crescimento de 10,1% e chegar a 1,42 milhão de toneladas, mesmo com uma diminuição de 5,2% na área de seu sistema agrícola. Um dos itens principais no prato do brasileiro, o arroz, tem previsão de crescimento de 9,7% em comparação com a colheita 2015/2016. A Conab estima que a safra chegue a até 11,6 milhões de toneladas.

A soja, um dos produtos que a China compra do Brasil, pode atingir a marca de 103,8 milhões de toneladas de colheita. O crescimento de 8,7% em relação à última safra também se deve ao crescimento de 1,6% em sua área de produção. A nova área incorporada antes fazia parte do cultivo de arroz e algodão.

O inverno de 2016 também trouxe crescimento para o agronegócio do País. A taxa de crescimento da colheita de cevada foi de 42,5%, o que significa 374,8 mil toneladas de produção. A safra do trigo aumentou 21,5%, alcançando 6,7 milhões de toneladas. O cereal híbrido¸ triticale e a canola, aumentaram o sistema de produção e obtiveram colheitas de 68,1 mil toneladas e 71,9 mil toneladas, respectivamente.

+Movimento do comércio tem queda de 6,6% em 2016; pior resultado em 16 anos

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários