Brasil Econômico

Indicador registrou acréscimo na taxa de variação do grupo vestuário, que passou de -0,36% para 0,81%
iStock
Indicador registrou acréscimo na taxa de variação do grupo vestuário, que passou de -0,36% para 0,81%

O Índice de Preços ao Consumidor – Classe 1 (IPC-C1) desenvolvido pelo Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre – FGV), registrou variação de 0,19%, taxa 0,13 ponto percentual acima se comparada a de novembro, que apresentou variação de 0,16%. Com esse resultado, o indicador apontou alta de 6,22% em 2016. Em dezembro do ano passado, o IPC-BR teve variação de 0,33%, ficando 6,18% mais próximo a taxa analisada pelo IPC-C1.

+IPC acumula alta de 6,54% em 2016, aponta pesquisa da Fipe 

De acordo com o IPC-C1 da IBRE, seis das oito classes de despesas apuradas pelo indicador  apresentaram alta em suas taxas de variação. O segmento de alimentação passou de queda de 0,36% para  alta de 0,26%. As despesas diversas evoluíram de -0,34% para 1,86%, assim como o vestuário que foi de -0,36% para 0,81%. Transportes, saúde e cuidados pessoais e educação, leitura e recreação, que antes possuíam taxas de 0,35%, 0,37% e 0,56%, obtiveram acréscimos significativos ao registrar 0,59%, 0,52% e 0,86%, respectivamente.

+ Material escolar está 12,97% mais caro este ano, aponta pesquisa do Procon-SP

Você viu?

Vale ressaltar que boa parte da variação e do aumento dessas taxas se deve a itens, como por exemplo, os laticínios, cigarros e roupas, que anteriormente estavam com queda de 4,26%, 0,84% e 0,35%, passando para -2,06%, 3,31% e 0,92%, na sequência. A gasolina também variou, indo de -0,13% para 2,21%, assim como os salões de beleza e shows musicais, que passaram de -0,13% e 0,76% para 2,21% e 1,43%, segundo o Ibre – FGV.

Em contrapartida com os acréscimos sofridos, houve decréscimo na taxa de variação de outros grupos, como habilitação e comunicação, que descaíram de 0,39% e 0,10% para -0,69% e 0,07%, respectivamente. Estima-se que itens como tarifa de eletricidade residencial e mensalidade de televisão por assinatura tenham contribuído para o resultado atual, já que diminuíram de 1,25% e 1,86% para -5,13% e 0,35%.

Inflação em São Paulo

Outro indicador que também apura inflação é o da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) que registrou em dezembro, alta de 0,72% no Índice de Preço ao Consumidor (IPC), resultado esse superior ao registrado em novembro, quando o indicador teve alta de 0,15%. A fundação identificou que o grupo de alimentação registrou alta de 0,27% em dezembro de 2016, sendo que no mês anterior, tinha apresentado queda de 0,92%.

O IPC medido pelo Fipe apurou ainda que os preços do transporte passaram de 0,42% em novembro para 0,53% em dezembro de 2016. Habitação e vestuário também apresentaram alta na comparação mensal, ao passarem de 0,34% e 1,05% em novembro, para 0,86% e 1,83% em dezembro do mesmo ano.

+ Pagar IPVA à vista tem desconto na maioria dos estados brasileiros

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários