Tamanho do texto

Medidas anunciadas na terça-feira (20) pelo Banco Central, visam melhorar ambiente de crédito e educar financeiramente os cidadãos, diz Febraban

Agência Brasil

O apoio oferecido pelo presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, foi elogiado pela Febraban juntamente das medidas que objetivam impactar de forma positiva a educação financeira dos cidadãos brasileiros
MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL
O apoio oferecido pelo presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, foi elogiado pela Febraban juntamente das medidas que objetivam impactar de forma positiva a educação financeira dos cidadãos brasileiros

Na terça-feira (20), o Banco Central (BC) anunciou medidas que pretendem estimular e desburocratizar o crédito, medidas essas que resultariam   na melhora estrutural do sistema bancário. A avaliação feita pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban), ressalta a colaboração dos bancos com a autoridade monetária a fim de gerar resultados que ajudem a recuperar a economia.

+ Emissão de TED não terá valor mínimo a partir desta sexta-feira, diz Febraban

“O conjunto de medidas irá contribuir para melhorar o ambiente de crédito de forma estrutural e duradoura. A Febraban e seus bancos associados darão colaboração ativa e construtiva à autoridade monetária para que as medidas anunciadas tenham bons resultados, no prazo definido, e contribuam para o aumento da oferta de crédito, do investimento e para a retomada da criação de empregos”, afirmou a entidade em comunicado.

De acordo com a Febraban, grupos de trabalho com participação do setor bancário serão criados  para a discussão  de medidas que tendem a diminuir custos de intermediação financeira  com a intenção de diminuir  a diferença entre os juros pagos pelos bancos para a captação de recursos, além das taxas cobradas de tomadores de empréstimo (spreads).

Medidas estruturais 

A entidade aproveitou para elogiar o apoio de Ilan Goldfajn, presidente do BC, além da exposição de medidas que impactem positivamente a educação financeira dos cidadãos e mecanismos que solucionem conflitos, evitando processos judiciais. Iniciativas que objetivam ampliar a transparência do sistema financeiro também foram pautadas. Segundo a Febraban, medidas que melhorem a estrutura do sistema, como por exemplo, a simplificação do depósito compulsório ou dinheiro que os bancos são obrigados a depositar no Banco Central  e a regulamentação das Letras Imobiliárias  podem contribuir para a diminuição do custo do crédito.

“A agenda anunciada pelo Banco Central também contempla medidas estruturais importantes que contribuirão para dar maior racionalidade e transparência às relações entre o Tesouro Nacional e o Banco Central”, informou a Febraban.

+ Medidas anunciadas pelo Banco Central querem crédito mais barato no País

Outra medida ressaltada pela entidade foi o aperfeiçoamento do Cadastro Positivo. Com isso, o governo visa inverter o processo e obrigar apenas o cidadão que não possui interesse em ter os dados analisados pelas instituições financeiras, que manifestem o mesmo em relação ao Cadastro.

“O aperfeiçoamento do cadastro positivo, com o fim da responsabilidade objetiva e solidária das fontes de informação e dos usuários do cadastro, aumentará os incentivos para sua mais rápida implantação”, expôs o comunicado da Febraban.

+ Mercado financeiro projeta inflação em 6,52% este ano

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.