Tamanho do texto

Expectativa do SPC Brasil é que o Natal movimente R$ 50 bilhões na economia este ano. Especialista dá dicas para vender mais no período

A uma semana do Natal, data sazonal de maior importância ao comércio brasileiro, muitas empresas mostram-se menos otimistas com as vendas no período. A recessão econômica no País agrava esse sentimento, mas segundo especialistas no setor, este não é momento para desânimo, já que a estimativa do SPC Brasil e que mais de 108 milhões de brasileiros devem presentear alguém na data.

+ Cresce a intenção de compra de presentes no Natal, aponta Hello Research

Planejamento e atendimento devem ser palavras de ordem para que os empresários aumentem as vendas no  Natal
iStock
Planejamento e atendimento devem ser palavras de ordem para que os empresários aumentem as vendas no Natal

O reflexo dessa intenção de presentar deve movimentar mais de R$ 50 bilhões na economia. Planejamento, dedicação e foco nas vendas são premissas que devem estar na mira dos empresários na semana que antecede o Natal e na opinião do Neder Kassem, precursor da Escola de Vendas K.L.A. e fundador da Academia Brasileira das Vendas, ter uma equipe de vendas bem treinada para receber o consumidor neste período é apenas uma das medidas que devem ser adotados pelos empresários do setor.

+ Varejo de São Paulo deve ter queda de 6% nas vendas de Natal, diz ACSP

Para ajudar quem ainda tem dúvidas sobre como alavancar as vendas no período, Kassem listou de forma exclusiva ao Brasil Econômico cinco iniciativas para ajudar a vendas mais no Natal.

1. Treinar equipes

Para o especialista Neder Kassem, um dos principais erros cometidos pelo varejo brasileiro durante o Natal é a contratação desenfreada de novos funcionários. Segundo ele, não adianta aumentar a equipe se não existir um treinamento adequado. “É mais vantajoso ter uma equipe enxuta e bem treinada do que um grupo de vendedores despreparados”, afirma. Por isso, é importante preparar e treinar os funcionários, além de desenvolver metas e políticas de incentivo às vendas.

2. Oferecer produtos agregados

Aproveitar o momento da venda para ofertar produtos a mais ao consumidor também é uma opção. Se em uma loja de sapatos, por exemplo, o cliente pede para experimentar um produto, o vendedor poderá aproveitar o momento para oferecer um cinto que combine com a cor da peça. “Assim, as chances de uma venda produtiva aumentam muito”. Outra dica é abordar o cliente de forma cordial. “Apresente-se, trate o consumidor como amigo e se coloque à disposição. É o primeiro passo para a venda dar certo”, afirma Kassem.

3. Investir com planejamento

Investir em campanhas de marketing e publicidade agressivas pode ser uma furada se a equipe não estiver preparada para vender – o cliente pode encontrar no estabelecimento o que foi ofertado na propaganda. O mesmo vale para os descontos de fim de ano. A promoção serve como auxílio para o varejista, mas não deve ser a ação principal. “O que faz o cliente comprar é o envolvimento com a marca e o atendimento eficiente. O desconto só é um incentivo a mais”, diz o consultor.

4. Destacar os benefícios dos produtos

Há 42 anos atuando na área de vendas, Neder Kassem garante: o bom vendedor precisa saber vender o benefício que o produto traz e não somente as características. Para isso acontecer, é importante que o profissional esclareça porque um determinado produto realmente atende as necessidades do consumidor. “É preciso vender o conceito, a ideia, e não o que faz ou como funciona. O consumidor precisa entender como aquela compra pode afetar a sua vida. No Natal, isso fica ainda mais forte”, pontua Kassem.

5. Identificar as necessidades do cliente

O bom vendedor também deve ter a sensibilidade de saber o que desperta o brilho no olhar do cliente. “Ele deve estar atento, pronto para analisar as situações rápidas do dia a dia. É um ato simples, mas que gera muitos resultados.” Outra dica do consultor é que o vendedor tenha a percepção de pedir uma avaliação do seu trabalho e a indicação da loja e dos seus serviços para familiares e amigos durante o Natal. “O boca a boca é muito rico no segmento de vendas”, conclui.

+ Confira seis dicas para fidelizar clientes no varejo