Tamanho do texto

Segundo IBGE, sete cidades movimentaram 25% do Valor Acrescentado Bruto, que representa produção da indústria, dos serviços e da agropecuária

Brasil Econômico

Um levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) realça a concentração de renda existente em algumas cidades do Brasil. A pesquisa Produto Interno Bruto (PIB) dos Municípios 2014 divulgada nesta quarta-feira (14) revela que apenas sete dos 5.570 municípios existentes respondem por 25% dos bens e riquezas produzidos no País naquele ano.

+ Medidas de estímulo à economia não incluirão subsídios, diz Henrique Meirelles

Em 2014, as sete cidades movimentaram 25% do valor acrescentado bruto (VAB), que representa a produção de setores da indústria, serviços e agropecuária, e também tiveram grande participação no PIB . Segundo o levantamento, o grupo já é conhecido pela atividade de serviços (intermediação financeira, comércio e administração pública).

Segundo levantamento do IBGE, 62 cidades responderam por quase a metade do PIB em 2014
Marcos Santos/USP Imagens
Segundo levantamento do IBGE, 62 cidades responderam por quase a metade do PIB em 2014

Excluindo-se as capitais, 9 cidades se destacaram por gerarem, individualmente, mais de 0,5% do PIB e agregarem 7,3% da renda do País. De acordo com a pesquisa, a exceção de Campos dos Goytacazes (RJ), todas as cidades estão em São Paulo. Entre elas, estão Osaco, Campinas, Guarulhos, São Bernardo do Campo, Barueri, Jundiaí, Sorocaba e São José dos Campos.

Quando a participação no PIB é levada em consideração, o levantamento aponta que 62 municípios foram responsáveis por quase a metade do índice naquele ano. As cidades ainda concentravam 32,8% da população brasileira. Por outro lado, 1.379 municípios integravam a última faixa de participação relativa e respondiam por aproximadamente 1% do PIB, ao concentrar cerca de 3,3% da população.

+ Juros do cartão de crédito sobem para 459,53% ao ano em novembro

Entre as cidades nessa categoria, 73,2% estão localizadas no Piauí, 59,6% no Tocantins e 50,9% no Rio Grande do Norte. Na avaliação do IBGE, a distribuição mostra "não só a concentração da geração interna da renda como também a difusão espacial na produção desta renda".

Indústria

A indústria se mantém concentrada, principalmente, nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo. Segundo dados do IBGE, 15 municípios concentravam, em 2014, cerca de 25% do Valor Acrescentado Bruto do setor, com 17,5% da população. Por outro lado, 3.012 municípios respondiam por somente 1% do VAB.

+ Setor de serviços tem queda de 7,6%; pior resultado desde 2012

Apesar de seguir como principal polo industrial, com 5,6%, a cidade de São Paulo vem perdendo participação desde 2010, quando o percentual era de 6,4%. A capital paulista também concentrava o maior valor agregado dos serviços (excluindo-se a administração pública) e do PIB. A concentração do município chegava a 15,1% do valor agregado para o setor. Em 2010, porém, a participação era de 16,5%, mostrando um movimento de desconcentração dessa atividade entre os municípios.

* Com informações da Agência Brasil.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.