Tamanho do texto

Saiba como se educar financeiramente e atingir suas metas pessoais e coletivas com mais facilidade e organização para um 2017 mais próspero

Brasil Econômico

Educação financeira pode ser uma boa alternativa de auxiliar na conquista de metas
iStock
Educação financeira pode ser uma boa alternativa de auxiliar na conquista de metas

O final do ano se aproxima e com ele as metas e sonhos para 2017. Porém, para que esse ciclo seja diferente do anterior, as atitudes também tem que ser distintas. Pensando nisso o presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e da DSOP Educação Financeira, Reinaldo Domingos, listou oito orientações que simplificarão as conquistas de objetivos coletivos ou individuais e ainda possibilitarão mudanças de hábitos e uma maior educação financeira.

+ Com dicas básicas de educação financeira, você pagará as contas e realizará sonhos

1. Desenvolva a sua educação financeira . Se organize tendo tudo por escrito para os próximos doze meses, desde datas comemorativas, matrículas e matérias escolares, até pagamentos de impostos. Tenha registrado também o valor a ser gasto, assim o controle e a eficácia de sua programação serão maiores.  

2. Registre também nesse planejamento, as parcelas de compras que se estenderão para 2017. Assim, elas continuarão sendo lembradas e colocadas no orçamento financeiro dos meses seguintes.

3. Mantenha o diálogo ativo. Converse com os familiares, incluindo as crianças, para que todos possam estar cientes sobre os planejamentos e sonhos, não só do coletivo, mas de cada individuo. Essa é uma etapa importante por atuar na maneira de como cada família costuma lidar com o dinheiro.  Nesse passo, ficará evidente que o dinheiro é uma das formar de conquistar objetivos, como por exemplo viagens, quitações de dívidas e aquisição de bens.

Pesquise

4. Procure fazer cotações e saber o valor das coisas. Com isso, as possibilidades de preço se tornarão maiores, assim como as de realização dessas metas. Planejar-se com antecedência é sempre bom para esse tipo de etapa.

+ Educação financeira das crianças é tarefa só dos pais? Escolas provam que não

5. Procure economizar e guardar dinheiro simultaneamente para cada objetivo. Escolha também a melhor forma de investi-lo de acordo com seus próprios prazos, sejam eles curtos, médios ou longos. É interessante pensar na caderneta de poupança para os de curto prazo (até um ano), Tesouro Direto, fundos de investimentos e CDB para os de médio prazo (de um a dez anos) e previdência privada e Tesouro Direto para os de longo prazo (acima de dez anos).

6. Anote tudo o que for gasto ao longo do mês. Efetue um diagnóstico financeiro organizando as despesas em diferentes categorias (energia elétrica, água, alimentação, telefone, etc.) para saber ao certo qual gasto necessita de maior controle. De fato, todos desperdiçamos ou exageramos em pelo menos 20% das contas, e executando esse passo, as chances de verificação e identificação de gastos desnecessários são mais altas.                   

7. Mude sua maneira de elaboração do orçamento financeiro mensal. Procure calcular o Ganho (-) Sonhos (-) Despesas. Dessa forma os sonhos serão priorizados no lugar das despesas, evitando aquela equação desagradável de Ganhos (-) Despesas = Lucro/Prejuízo. Depois que tirar o valor destinado aos sonhos, com o que sobrar, adéque-o ao seu padrão de vida.

+ Cartão de crédito: saiba como usar a favor das finanças pessoais

8. Se você possui muitas dívidas, talvez a melhor opção seja buscar pela real causa do problema, fazendo uma faxina financeira. É sempre bom se organizar e  procurar saber mais sobre educação financeira para não se enrolar e começar o ano novo com uma nova perspectiva e com mais possibilidades de conquistar as metas pessoais e coletivas.