Tamanho do texto

Total de cotas comercializadas atingiu 1,82 milhão no intervalo, segundo a Abac; outubro apresentou o segundo melhor resultado do ano

As vendas de novas cotas de consórcio em todas as modalidades no Brasil registram queda de 6,7% entre janeiro e outubro deste ano, se comparadas ao mesmo período do ano passado. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (6) pela Associação Brasileira de Administradores de Consórcios (Abac). Em valores, os créditos negociados somaram R$ 65,15 bilhões. O valor é 10,2% menor que o registrado no mesmo período do ano passado (R$ 72,57 bilhões).

+ Consórcio: entenda as regras dessa modalidade de compra

De acordo com o balanço, o total de cotas de consórcio  comercializadas atingiu 1,82 milhão no período ante 1,95 milhão em mesmo intervalo de 2015. Segundo o levantamento, a taxa de contemplações no período recuou 8,5% (1,08 milhão) e 3,6% no total liberado ao mercado (R$ 32,83 milhões). Apesar das retrações, a Abac lembra que, em outubro, o desempenho superou a média mensal de 182,5 mil cotas. Com 220 mil novas adesões, o mês teve o segundo melhor resultado do ano, superado apenas pelo recorde de agosto, de 221 mil cotas.

Consórcio é utilizado por 7 milhões de pessoas; modelo tem desempenho 1,8% abaixo do registrado em 2015
Divulgação
Consórcio é utilizado por 7 milhões de pessoas; modelo tem desempenho 1,8% abaixo do registrado em 2015

+ Consórcio ou financiamento? O que é melhor com a queda dos preços dos imóveis

Com 7 milhões de participantes ativos, o modelo tem desempenho 1,8% menor ao existente em outubro do ano passado (7,13 milhões). O valor médio da cota em outubro aumentou 1,6%, passando de R$ 37 mil para R$ 37,6 mil.

Na contramão da média dos setores analisados, a demanda por cotas na área de serviços cresceu 54,3% com 14,2 mil novos consorciados. O volume de créditos do segmento aumentou 79,7% (R$ 94,65 milhões). De acordo com o levantamento, 9,15 mil consorciados foram contemplados. O resultado representa alta de 29,8%, com R$ 50,98 milhões liberados. Segundo a Abac, a preferência dos contemplados foi para serviços residenciais (63,1%), seguido pela área de saúde e estética (17%), com predomínio de cirurgias plásticas.

A demanda por cotas para adquirir a casa própria teve recuo de 12,8%. No acumulado de 2016 até outubro, foram vendidas 175 mil cotas. O resultado representa movimentação de R$ 20,49 bilhões em créditos, desempenho 11,9% abaixo do mesmo período de 2015. Os valores liberados aumentaram 1,4%, totalizando R$ 5,94 bilhões, e permitiram que 59,8 mil consorciados fossem contemplados.

+ Financiamento imobiliário: especialistas dão dicas para compra de imóveis

Veículos

No setor de veículos automotores, de janeiro a outubro, as novas cotas somaram 1,62 milhão de unidades, com desempenho 6,4% menor que o mesmo período de 2015. Os créditos negociados atingiram R$ 44,51 bilhões, com queda de 9,5% na comparação com o ano passado. Entre janeiro e outubro, 999,6 mil consorciados puderam comprar seus bens, resultado 9,1% abaixo do acumulado no mesmo intervalo de 2015. Os consórcios do segmento de veículos disponibilizaram R$ 26,8 bilhões.