Tamanho do texto

Na comparação com o trimestre encerrado em outubro de 2015, o número de desempregados é 32,7% maior, ou seja, 3 milhões de pessoas a mais procurando emprego no Brasil, mas sem sucesso

Agência Brasil

Brasil tem 12 milhões de desempregados, segundo o IBGE
iStock
Brasil tem 12 milhões de desempregados, segundo o IBGE

O índice de desemprego no País atingiu 11,8% no trimestre encerrado em outubro, indicador esse superior aos 11,6% apurados no trimestre encerrado no mês de julho, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na comparação com 2015 o indicador também mostrou alta expressiva, já em há dois anos o índice no período era de 8,9%.

+ Brasil tem 12 milhões de desempregados, aponta IBGE

O número de pessoas desocupadas no Brasil, segundo o IBGE ,  mostrou estabilidade ao somar 12 milhões de pessoas sem emprego no trimestre encerrado em outubro, número igual ao trimestre encerrado em julho deste ano.  Já na comparação com o trimestre encerrado em outubro de 2015, o número de desempregados é 32,7% maior, ou seja, 3 milhões de pessoas a mais procurando emprego no Brasil, mas sem sucesso.

Desempregados

Segundo o IBGE, esse é o terceiro trimestre seguido do ano em que o número de desempregados no País ficou acima de 12 milhões. Outro indicador do Pnad apontou que o contingente de pessoas ocupadas somou a 89,9 milhões de brasileiros, índice 0,7% menor do que julho do ano passado (2015) e 2,6% menor que o mês de outubro de 2015.

+ Taxa de desemprego sobe para 11,6% no trimestre até julho

Outro indicador que também apresentou queda foi o número de trabalhadores com carteira assinada. No setor privado a queda foi de 0,9%, ou seja, 303 mil pessoas a menos. Ao total, hoje, o País tem 34 milhões de pessoas empregadas e com carteira assinada. Na comparação com igual trimestre do ano anterior, a redução foi de 3,7%, o que representa menos 1,3 milhão de pessoas.

Renda do trabalhador

A renda média do brasileiro apresentou ligeira alta e chegou a R$ 2.025 no trimestre encerrado em outubro.  O valor é 0,9% superior ao observado em julho, quando o rendimento somou R$ 2.006, valor esse já corrigido pelo índice de inflação. No entanto, o montante  é 1,3% inferior ao registrado em outubro do ano passado, quando a rende média do brasileiros era de R$ 2.052, já descontada a inflação.

Já a  massa de rendimento real habitual recebida pelos trabalhadores chegou a R$ 177,7 bilhões, estatisticamente o mesmo valor de julho, mas 3,2% inferior ao registrado em outubro do ano passado, segundo o resultado divulgado nesta terça-feira (29) pelo IBGE.


+ Como programas de apoio ajudaram jovens europeus a saírem do desemprego

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.