Brasil Econômico

Brasil Econômico

undefined
Reprodução
Camiseta ofensiva foi retirada da loja online após críticas dos usuários

A loja online Dafiti revoltou usuários da internet nesta segunda-feira (28), após a descoberta de uma camiseta com conteúdo sexista no site. O produto tinha uma estampa que dizia que "mulher burra" seria um pleonasmo. 

+ Varejo tem crescimento de 11% nas vendas na Black Friday, diz Serasa

Publicações na página da loja online no Facebook passaram a receber uma série de críticas por parte dos usuários, que demonstravam insatisfação com o conteúdo do produto encontrado no site. Confira algumas postagens:












Mediante às críticas, a empresa retirou o produto do ar e fez um pedido de desculpas, mas jogou a responsabilidade da camiseta para a Eiblu, parceira de marketplace que foi descredenciada após o episódio. Veja a íntegra da nota de esclarecimento publicada pela loja: 

"Recentemente, a Dafiti tomou conhecimento de um produto com conteúdo ofensivo e, imediatamente, tomou as devidas providências. A marca Eiblu, ex-parceira de marketplace, foi descredenciada e seus produtos foram retirados do ar. Além disso, já iniciamos a reavaliação de todo nosso portfólio para que isso não se repita.

A Dafiti repudia qualquer tipo de manifestação de preconceito e discriminação.
Somos uma empresa comprometida em oferecer a melhor experiência de compra online, por meio de marcas e serviços que promovam o acesso à moda a todos os consumidores. Acima de tudo, apoiamos a igualdade de gênero e a diversidade.

Pedimos desculpa a todas as nossas clientes."

A nota de esclarecimento da empresa, no entanto, não foi o suficiente para os consumidores, que continuaram as críticas na publicação. "Se são contra desigualdade de gênero, machismo, preconceito, como deixaram a camiseta passar, em primeiro lugar? Ninguém leu o que estava escrito? Cadê os funcionários e responsáveis? Deixaram entrar na loja por acidente? Me poupem", dizia um dos comentários. 

undefined
Reprodução
Segundo usuários, estampa de camiseta vendida na Dafiti fazia apologia ao estupro de vulnerável

Para complicar ainda mais a situação, uma usuária publicou, nos comentários da postagem da nota de esclarecimento, uma outra camiseta, que disse considerar uma forma de apologia ao estupro de vulnerável. O produto também recebeu uma série de críticas. 

+ Lojas virtuais faturam R$ 1,9 bilhão com vendas na Black Friday

Algumas pessoas, no entanto, saíram em defesa da loja online, dizendo que a maior parcela de culpa seria realmente da parceira de marketplace. "É possível sim a Dafiti não ter tido conhecimento da exposição desse produto em sua plataforma até que deu este problema todo. Porém, visto o problema, trataram de saná-lo rapidamente. Agora devem tratar de melhorar o controle sobre a exposição de produtos de parceiros. Apenas isso", dizia outro comentário da publicação. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários