Brasil Econômico

Brasil Econômico

undefined
José Cruz/Agência Brasil
Neste mês quatro novas concessões terão edital lançado

A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) tem 90 dias para encontrar uma solução plausível para sair da crise financeira em que se encontra. O prazo foi estipulado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e a estatal se vê em crise desde que as concessões nos aeroportos brasileiros cortaram seu faturamento quase pela metade.

+ Aeroportos: norma de segurança mais rigorosa começa a valer em todo o País

Em 2013 a Infraero chegou a anunciar medidas para melhorar a saúde financeira da operação e tais medidas contemplavam: extinção do Adicional de Tarifas Aeronáuticas (Ataero); implementação de plano de gestão, criação da Infraero Participações e da Infraero Serviços; aprimoramento do instrumento de exploração aeroportuária entre a União e a Infraero; além de medidas para redução de custos operacionais e para aumento de produtividade.

Mas, mesmo com todas as medidas anunciadas e algumas implementadas pela Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República (SAC),  o TCU, em auditoria, verificou que elas não surtiram efeito esperado a e estatal continua em grave situação financeira.

Auditoria

A auditoria do TCU avaliou que as medidas “não foram implementadas completamente” e que outras nem chegaram a sair do papel, segundo o ministro relator do processo Walton Alencar Rodrigues. Ainda segundo informações do TCU, atualmente a Infraero tem participação de 49% das concessões que já foram feitas no País. Com isso a estatal teve redução de 53% em sua receita operacional, entretanto, as despesas da Infraero foram reduzidas em apenas 34%. 

+ Atividade econômica tem sétima queda consecutiva, aponta Banco Central

Segundo o TCU a pequena redução das despesas ocorreu pelo fato de que 3.892 empregados orgânicos dos aeroportos, 71% deles optaram por continuar a trabalhar na estatal.  Todas as reservas da empresa acabaram em 2014 e de lá para cá a Infraero tem se mantido em pé com a ajuda e os recursos do Governo Federal.

Novas concessões

A situação da estatal Infraero pode se agravar já que mais a perspectiva é que até o final deste mês de novembro mais quatro editais de concessão sejam lançadas, conforme afirmou o  coordenador de projetos do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), Tarcísio Freitas. Na semana passada Freitas informou que m 2017 os aeroportos de Fortaleza, Salvador, Florianópolis e Porto Alegre, entram em concessão.  

* Com informações do Jornal O Estado de São Paulo

+ Futebol e alimentação: tabelinha que deu certo para a Sportfood

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários