Brasil Econômico

undefined
iStock
Quem deseja abrir um negócio em meio à crise deve tomar cuidado com os financiamentos

Os  momentos de crise financeira, sem sombra de dúvidas, apresentam muitas dificuldades para os trabalhadores. Ao mesmo tempo, no entanto, abrem portas para quem deseja investir em um negócio próprio. 

+ Saiba por que usar vídeos online para divulgar produtos na Black Friday

Para que tudo funcione da melhor forma e o empreendedor consiga abrir seu próprio negócio em meio à crise financeira, é preciso tomar alguns cuidados importantes, principalmente no caso de pessoas não possuem reservas muito grandes de capital. Fábio Yamamoto, sócio da Tiex dá algumas dicas sobre o que essas pessoas precisam fazer para alcançar bons resultados.

1) Planejamento

Planejar muito bem é indispensável. Aponte as perspectivas e metas que o mercado pode oferecer, estimando custos e lucros, e analise as oportunidades que área de atuação da empresa tem a apresentar. Isso facilita o desenvolvimento da empresa. É importante estudar a área de atuação na qual a empresa vai atuar, assegurando o conhecimento dos pontos positivos e os riscos oferecidos.

2) Cuidado com financiamentos

Linhas de crédito, hoje em dia, podem ser facilmente encontradas em bancos que costumam oferecê-las aos novos empreendedores, sejam eles públicos ou privados. Ambos apresentam vantagens e desvantagens, portanto, é importante que o empreendedor analise qual é o melhor para a sua empresa.

+ Conheça as vantagens e problemas dos pagamentos digitais

A burocracia e o nível de monitoramente são menores nos bancos privados, bem como o prazo de pagamento, mas os juros costumam ser mais elevados. Buscar linha de crédito em bancos públicos é mais difícil, mas os juros menores fazem com que seja a opção mais barata, além dos prazos maiores para os pagamentos. 

3) Investidor-anjo

Encontrar um investidor-anjo para a sua empresa é uma solução muito boa, pois o investidor não só vai colocar dinheiro na empresa, como também vai colaborar com o conhecimento que tem em relação ao mercado.

+ E-commerce: conheça os cuidados ao comprar ou contratar pela internet

Obviamente, será cobrada uma participação deste investidor nos lucros, mas ela será minoritária. Além disso, ele não vai possuir um cargo executivo na empresa, atuando apenas como conselheiro do empreendedor. No momento em que o investimento é feito, é comum que já existe uma data pré-estabelecida para o pagamento da participação, geralmente acordado em contrato. O período de atuação do investidor-anjo vai depender da negociação. Seguindo estas dicas, é possível colocar um negócio para funcionar, mesmo em tempos de crise. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários