Tamanho do texto

Diferente do que se pode imaginar, micro e pequenas empresas são mais ágeis para se adequar aos novos cenários, apesar de sentirem mais a crise

Diferente do que se pode imaginar, pequenas empresas são as mais ágeis para se adequar aos novos cenários
iStock
Diferente do que se pode imaginar, pequenas empresas são as mais ágeis para se adequar aos novos cenários

A queda da economia brasileira e a inflação em alta dos últimos anos têm acendido o sinal de alerta para muitas empresas. Dados dos pedidos judiciais ou de falência pelo País demonstram que o cenário não é dos mais fáceis para empreendedores – especialmente para os pequenos negócios.

+ Estoque alto faz indústria ter queda na confiança, aponta FGV

Assim, com a crise assolando o País, muitos negócios acabam precisando enxugar custos e reduzir estoques para sobreviver à instabilidade do mercado. Nesse sentido, as micro e pequenas empresas são as que mais sentem, diretamente, a estagnação econômica por não contar com grande capital de investimento em novas áreas e/ou produtos e serviços.

Porém, ao contrário do que muitos imaginam, micro e pequenos empreendimentos são mais ágeis para se adequar ao novo cenário e implantar mudanças, de acordo com o especialista em gestão de crise e autor dos livros "Negócio Sem Crise" e "Quem Matar na Hora da Crise" (editora Évora), Artur Lopes.

O especialista afirma que tomar uma atitude diante da dificuldade econômica é a maior dificuldade de muitos empresários. “É como ficar doente, a empresa tem mais chances de 'cura' se a crise for descoberta no início e tratada corretamente", afirma. “Caso contrário, ela pode morrer.”

A seguir, o especialista listou cinco dicas para ajudar empresários a encarar a crise:

1. Enxugue custos

Ao notar queda nas vendas e na lucratividade, o primeiro passo deve ser enxugar custos, segundo Lopes. Analise despesas e descubra gastos desnecessários ou que podem ser reduzidos, como contas de água, luz, telefone.

+ Produção industrial volta a cair em setembro, com quase um terço de ociosidade

2. Reduza o estoque

Ou seja: se antes a empresa vendia 100 mil itens e agora vende 60 mil, ela precisa se adaptar à nova realidade, reduzindo a produção ou a quantidade comprada do fornecedor.

3. Elimine produtos com pouca saída

Analise os produtos menos vendidos ou que dão pouco retorno. A lucratividade pode aumentar se esses itens forem eliminados. Não precisa vender tal coisa só porque o concorrente tem.

4. Renegocie dívidas

Quando a empresa já está em dificuldade financeira, uma das medidas é a renegociação das dívidas com bancos e fornecedores.

+ 3 lições de negócios que você não aprende na faculdade

O empreendedor pode conseguir condições favoráveis para pagar suas obrigações dependendo do relacionamento que mantém com seus parceiros.

5. Tenha controle sobre a empresa

Segundo o especialista, ter controle financeiro e operacional ajuda a empresa a identificar problemas e a tomar decisões antes que a crise agrave a situação. Desse modo, para que negócios sejam sustentáveis, é necessário que criem metas, relatórios de desempenho, (como tabelas e gráficos) e, também, que acompanhem com atenção esses indicadores.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.