Tamanho do texto

Especialista explica como é importante conhecer o perfil do cliente devedor para traçar uma estratégia de abordagem eficiente e receber o valor devido

A empresa deve conhecer bem o devedor para traçar um planejamento para receber os valores devidos
Thinkstock/Getty Images
A empresa deve conhecer bem o devedor para traçar um planejamento para receber os valores devidos

A alta da inadimplência dos consumidores tem causado grandes problemas às áreas financeiras das empresas. Para complicar ainda mais, muitas delas têm dificuldade em abordar a situação e o cliente devedor de uma maneira que não prejudique o relacionamento ou os negócios futuros entre os dois.

+ Comércio é o setor com maior índice de inadimplência, aponta SPC Brasil

O advogado e sócio da Bento Jr. Advogados Gilberto Bento Jr explica que na hora de fazer a cobrança, a empresa deve seguir um pensamento lógico e e ter uma estratégia de abordagem. Primeiro, ela deve conhecer bem o devedor e então traçar um planejamento para receber os valores devidos. Por isso, é importante entender qual é o tipo de devedor que está em jogo e quais são as suas caracterísiticas. Conheça quatro perfis apontados por Bento Júnior.

1. Devedor viciado

É o tipo de devedor que, muitas vezes, não tem problemas financeiros, mas seu subconsciente sempre faz com que ele atrase os pagamentos, muitas vezes para prevenir imprevistos. Esse devedor pode até pedir para renegociar os juros, mas sempre pagará.

2. Devedor ocasional

O devedor ocasional sempre tenta manter as contas em ordem, mas, às vezes, por ocorrência de algum problema, não consegue arcar com algum compromisso. Ele costuma ficar bastante irritado quando é cobrados porque não se considera devedor. Como lhe é comum a sensação de injustiça, é necessário ter muita cautela para não desgastar a relação com esse tipo de devedor.

3. Devedor negligente

Este gênero de devedor não tem a vida financeira organizada, e, por isso, deixa de quitar suas contas de forma recorrente, muitas vezes porque se esquece de pagá-las. Nesse caso, o papel do cobrador é lembrar esse devedor dos seus compromissos. Bento Júnior ressalta que, muitas vezes, é necessário estabelecer acordos bem claros já que esses devedores, por serem negligentes, demandam negociações mais complexas.

4. Mau pagador

O mau pagador sabe que deve e mesmo assim se recusa a pagar e foge do cobrador inventando desculpas ou simplesmente desaparecendo. Esse tipo de devedor não está preocupado com o fato do seu nome estar sujo ou não. Dada a complexidade do perfil desse tipo de devedor, o cobrador deve tratá-lo de forma mais enérgica e, se não conseguir resolver o problema, recorrer a medidas legais.

Qual é a melhor forma de fazer uma cobrança

Existem procedimentos básicos que podem ser seguidos para facilitar as cobranças e minimizar os desgastes.

A primeira atitude a tomar é ligar ou mandar um e-mail ao devedor logo após o vencimento do prazo para a quitação das dívidas para que ele possa ajudar a localizar o pagamento que não foi registrado. Para facilitar a busca, deve-se pedir que o cliente envie o comprovante do pagamento.

Caso você não haja resposta em dois dias, o indicado é ligar para o devedor novamente e cobrá-lo uma posição efetiva, explica Bento Júnior.

Caso essas ações não surtam efeito ou caso o débito tenha mais de 45 dias, o valor que não foi pago deve ser passado para o escritório de advocacia de confinaça da empresa para que ele possa notificar o devedor sobre o pagamento sob pena de iniciar ação judicial. Nesse caso, os advogados usarão várias estratégias de localização de valores e bens para assegurar o seu recebimento.

"Para o combate à inadimplência se deve ter uma boa política de cobrança, uma rigorosa avaliação de crédito, e cercar-se de profissionais que possibilitem suporte", conclui Bento Júnior.

+ Quase metade dos paulistanos está endividada: o que fazer para evitar a situação

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.