Tamanho do texto

Tesouro Nacional informou que 43.698 investidores se cadastraram no mês setembro para compra de títulos

Agência Brasil

Tesouro Nacional informou que a venda de títulos tem crescido com maior demanda de pessoas físicas
EBC
Tesouro Nacional informou que a venda de títulos tem crescido com maior demanda de pessoas físicas

A venda de títulos a pessoas físicas por meio do programa Tesouro Direto somou R$ 1,4 bilhão em setembro, informou nesta sexta-feira (21) o Tesouro Nacional. O programa atingiu 973.894 cadastrados no mês passado, com aumento de 70,8% nos últimos 12 meses. Somente no mês passado, cadastraram-se 43.698 investidores.

+ Conheça os motivos para investir no Tesouro Direto

O valor médio por operação em setembro foi de R$ 10.183,25. As aplicações de até R$ 5 mil corresponderam a 72,1% das operações no período, o que sinaliza a utilização do programa de compra de títulos do Tesouro Direto por pequenos investidores.

Tendência

Os títulos mais procurados em setembro foram os indexados ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial, respondendo por 57,7% dos investimentos. Os títulos atrelados à Selic, taxa básica de juros da economia, equivaleram a 23,7% do total. Por fim, os títulos prefixados, cujos juros são definidos antecipadamente, representaram 18,6%.

+ Aprenda a melhorar seus ganhos com o Tesouro Direto

No mês, o estoque do Tesouro Direto alcançou R$ 36,6 bilhões, um aumento de 3,4% em relação a agosto e de 67,4% sobre setembro de 2015.

Títulos públicos

O Tesouro Direto foi criado em janeiro de 2002 para popularizar esse tipo de aplicação e permitir que pessoas físicas possam adquirir títulos públicos diretamente do Tesouro, via internet, sem intermediação de agentes financeiros. O aplicador só tem de pagar uma taxa à corretora responsável pela custódia dos títulos. Mais informações podem ser obtidas no site do Tesouro Direto.

A venda de títulos do Tesouro Direto  é uma das formas que o governo tem de captar recursos para pagar dívidas e honrar compromissos. Em troca, o Tesouro Nacional se compromete a devolver o valor com um adicional que pode variar de acordo com a Selic, índices de inflação, câmbio ou uma taxa definida antecipadamente, no caso dos papéis prefixados.

+ Venda de títulos do Tesouro Direto bate recorde para meses de agosto


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.