Tamanho do texto

Levantamento do SENAI aponta que, nos próximos anos, indústria demanda profissionais com formação de nível superior, técnico ou de requalificação

Brasil Econômico

Setor de construção é o que mais precisa de profissionais com qualificação, seguido de Meio Ambiente e Produção
Antonio Cruz/Agência Brasil
Setor de construção é o que mais precisa de profissionais com qualificação, seguido de Meio Ambiente e Produção

Um estudo do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) revelou que o Brasil terá de qualificar 13 milhões de trabalhadores entre 2017 e 2020 para  atender a demanda da indústria. De acordo com o levantamento intitulado "Mapa do Trabalho Industrial", os profissionais precisarão contar com formação de nível superior, técnico ou de qualificação.

+ Indicador que mede atividade econômica do País tem alta de 1,3% em setembro

As áreas que irão precisar de mais profissionais com qualificação serão Construção (3,8 milhões), Meio Ambiente e Produção (2,4 milhões), Metalmecânica (1,7 milhão), Alimentos (1,2 milhão), Vestuário e Calçados (974 mil), Energia (661 mil), Tecnologias da Informação e Comunicação (611 mil), Veículos (435 mil), Petroquímica e Química (327 mil) e Madeira e Móveis (258 mil).

Segundo o estudo, a área com maior demanda por formação de nível técnico é Meio Ambiente e Produção. Para especialistas responsáveis pela elaboração do Mapa, a área se destaca pois as empresas precisam ter mais controle sobre impactos ambientais causados por processos produtivos após mudanças recentes na legislação. Além disso, as companhias visam aumentar a produtividade por meio da melhoria da gestão desses processos.

+ Volume de serviços cai 4,7% nos primeiros oito meses do ano, diz IBGE

As regiões Sudeste e Sul registraram a maior demanda por profissionais capacitados em ocupações industriais, alinhadas com as participações da área no Produto Interno Bruto (PIB). Em seguida, estão as regiões Nordeste, Centro-Oeste e Norte. O levantamento pode ajudar jovens que estão escolhendo qual carreira seguir a aumentar chances de entrada no mercado de trabalho. A demanda por formação analisada pela pesquisa aborda tanto a capacitação de quem deseja ingressar no mercado, quanto a requalificação de profissionais já empregados.

Para o diretor-geral do SENAI e diretor de Educação e Tecnologia da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Rafael Lucchesi, "o profissional qualificado tem mais chances de manter o emprego e também pode conseguir uma nova vaga mais facilmente quando a economia voltar a crescer e as empresas retomarem as contratações".

+ Prévia da inflação medida pelo IPC tem queda em outubro na cidade de São Paulo

De acordo com a CNI, o Mapa do Trabalho Industrial é elaborado a partir da projeção de cenários para o comportamento da economia brasileira. O levantamento projeta o impacto das mudanças sobre o mercado de trabalho e estima a demanda por formação profissional industrial que será utilizada como parâmetro para o SENAI planejar a oferta de cursos de qualificação.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.