Tamanho do texto

Apesar do resultado negativo, indicador mostra uma queda menos profunda na comparação com outras datas comemorativas ao longo de 2016

As vendas a prazo na semana anterior ao Dia das Crianças caíram 9,02% na comparação com 2015
SAMUEL AGUIAR - 30.9.2011
As vendas a prazo na semana anterior ao Dia das Crianças caíram 9,02% na comparação com 2015

Dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostram que a retomada da confiança dos consumidores anda não se refletiu, efetivamente, em aumento do consumo. As vendas a prazo na semana anterior ao Dia das Crianças (entre 5 e 11 de outrubro), a segunda data mais lucrativa para o varejo no segundo semestre, caíram - 9,02% na comparação com 2015. Este é o terceiro ano consecutivo de retração. Ainda assim, a queda verificada pelo indicador foi menos intensa do que em outras datas comemorativas neste ano, como o Dia das Mães (- 16,40%) e o Dia dos Namorados (- 15,23%).

+ No Dia das Crianças, papa Francisco exalta luta contra trabalho infantil

Em 2015, as vendas no Dia das Crianças haviam registrado uma variação negativa de - 8,95%, queda equivalente a observadas neste ano, e em 2014, retração de -1,50%. Em anos anteriores, os resultados foram positivos, mas já apresentavam desaceleração, com crescimentos de +3,15% (2013), +4,83% (2012), +5,91% (2011) e +8,5% (2010).

De acordo com o presidente da CDNL, Honório Pinheiro, o resultado é consequência da crise econômica.

"Com o acesso ao crédito mais difícil, os juros elevados e a inflação mais alta, o poder de compras do brasileiro fica cada vez mais limitado", explica Pinheiro. "Os consumidores estão mais preocupados em não comprometer o próprio orçamento com compras parceladas, por isso optaram por presentes mais baratos e geralmente pagos à vista", acrescenta.

Segundo o levantamento do SPC Brasil, neste ano os presentes mais procurados seriam as roupas (42,8%), bonecos e bonecas (36,5%) e jogos educativos (24,8%). O gasto media girava em torno de R$ 222,00.

Metodologia

O cálculo de vendas a prazo é baseado no volume de consultas realizadas ao banco de dados do SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito), com abrangência nacional, entre os dias 5 e 11 de outubro deste ano.

Resultado já era esperado

Uma pesquisa feita pela FGV/IBRE sobre as perspectivas de compra de presentes com as crianças divulgada na útima segunda-feira (10), já apontava que os brasileiro pretendia gastar menos neste ano. O indicador que mede o ímpeto de gastos com presentes para o Dia das Crianças manteve a trajetória de queda iniciada em 2014 e atingiu 59,3 pontos, o menor valor da série.

O levantamento mostrou ainda que a proporção dos consumidores que pretendiam reduzir os gastos no Dia das Crianças em relação ao ano anterior aumentou de 41,1% para 44,9%.

+ Dia das Crianças: famosos mostram fotos da infância para comemorar a data

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.