Tamanho do texto

A maior alta foi verificada na Caixa Econômica Federal, seguida pelo Bradesco e pelo Itaú, indicou levantamento feito em 3 de outubro

Das sete instituições financeiras pesquisadas, três elevaram a taxa de cheque especial
Imagem de Arquivo/Agência Brasil
Das sete instituições financeiras pesquisadas, três elevaram a taxa de cheque especial

Uma pesquisa de taxas de juros realizada pelo Procon-SP, em 3 de outubro, aponta que das sete instituições financeiras que fazem parte da amostra, três elevaram a taxa de cheque especial e uma do empréstimo pessoal.

+ Banco do Brasil registra a maior alta da taxa do cheque especial em agosto

A pesquisa de taxas de juros foi efetuada pela Equipe de Pesquisas da Diretoria de Estudos e
Pesquisas da Fundação Procon-SP e envolveu as seguintes instituições financeiras: Banco do
Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú, Safra e Santander. 

Considerando que existe a possibilidade de variação da taxa do empréstimo pessoal em função do prazo do contrato, foi estipulado o período de 12 meses, já que todos os bancos pesquisados trabalham com este prazo. Vale lembrar, também, que os dados coletados se referem às taxas máximas pré-fixadas para clientes não preferenciais, independente do canal de contratação, sendo que para o cheque especial foi considerado o período de 30 dias.

Cheque Especial

A taxa média dos bancos pesquisados foi de 13,72% a.m., superior à do mês anterior que foi de 13,56% a.m., representando uma alta de 0,16 ponto percentual.

As altas na taxa de cheque especial foram verificadas nas seguintes instituições financeiras:

Caixa Econômica Federal - alterou de 13,05% para 13,55% a.m., o que significa um acréscimo de 0,50 ponto percentual, representando uma variação positiva de 3,83% em relação à taxa de setembro de 2016;

Bradesco - alterou de 13,15% para 13,55% a.m., o que significa um acréscimo de 0,40 ponto
percentual, representando uma variação positiva de 3,04% em relação à taxa de setembro de 2016;

Itaú - alterou de 12,95% para 13,14% a.m., o que significa um acréscimo de 0,19 ponto percentual, representando uma variação positiva de 1,47% em relação à taxa de setembro de 2016.

Neste ano, apenas o mês de janeiro não apresentou alta nesta modalidade de crédito.

Empréstimo Pessoal

A taxa média dos bancos pesquisados foi de 7,05% a.m., superior à taxa do mês de setembro que foi de 6,80% a.m., representando altade 0,25% ponto percentual.

A única modificação nesta modalidade de crédito foi promovida pelo Banco do Brasil, que alterou de 5,60% para 7,40% a.m., representando uma variação positiva de 32,14% em relação à taxa do mês anterior.

Dica do Procon-SP

Diante do alto nível de desemprego, a redução do consumo e a economia desacelerada, especialistas da Fundação Procon-SP alertam que o consumidor deve ter cautela ao solicitar empréstimos, já que os juros, em patamares muito elevados, podem dificultar ou até mesmo impossibilitar a quitação da dívida.

O Comitê de Política Monetária do Banco Central, na última reunião ocorrida em
agosto, decidiu manter a taxa Selic em 14,25% ao ano, essa taxa está em vigor desde 30 de julho de 2015. A próxima reunião está prevista para ocorrer nos dias 18 e 19 de outubro.

+ Entenda a taxa Selic: o que é, como é feito o cálculo e mais

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.