Tamanho do texto

Pedro Parente se reuniu com empresários na sede da Fiesp nesta segunda-feira, afirmando que estatal pretende vender participação na Braskem. Veja

Para o presidente da Petrobras, Pedro Parente, a política de conteúdo local da estatal foi
Memória EBC
Para o presidente da Petrobras, Pedro Parente, a política de conteúdo local da estatal foi "mal desenhada"

O presidente da Petrobras, Pedro Parente, afirmou nesta segunda-feira (26) que a política de conteúdo local da estatal foi “mal desenhada”, necessitando de aperfeiçoamento a fim de evitar mais prejuízos para a empresa. “O que não achamos razoável é que essa política possa trazer a quantia de problemas que trouxe para nossa empresa, inclusive de atrasos de entrega de equipamentos”, disse o executivo em encontro de empresários na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

A política de conteúdo do local da Petrobras foi criada para estimular a indústria nacional, promovendo o setor de petróleo e gás. Para isso,  prevê um percentual mínimo de compras de bens e serviços brasileiros na atividade de exploração.

Segundo o presidente da estatal, a exigência tem elevado o custo de aquisições da Petrobras, além de estar enfrentando o atraso na entrega de equipamentos. Ainda de acordo com Parente, a empresa enfrentou um problema recente com uma plataforma que, por força da exigência do conteúdo local, veio com um preço 40% acima de preço avaliado. “Não dá, qualquer um dos senhores que fosse proprietário dessa companhia não aceitaria isso”, disse o empresário aos colegas.

Ainda sobre a política de conteúdo local, Pedro Parente afirmou que a estatal não é “contra” sua realização, porém, reforçou que é preciso que isso seja aperfeiçoado. Para tanto, defendeu que a empresa deve participar do processo, já que “não dá para aceitar uma coisa como essa”.

+ Parente diz que não haverá indicações políticas na Petrobras

“Não dá para pagar 40% acima de um preço porque a política foi mal definida, mal desenhada. Essa política é ruim”, acrescentou.

Durante a reunião realizada na Fiesp nesta segunda-feira, Pedro Parente apresentou o Plano Estratégico e o Plano de Negócios e Gestão 2017-2021 da Petrobras aos empresários presentes.

Sobre a Braskem

O presidente da Petrobras afirmou, depois da reunião com os empresários, que a intenção da estatal é vender a participação na petroquímica Braskem, porém essa questão ainda deve ser discutida com os acionistas.

+ Petrobras abrirá PDV para reduzir número de  funcionários de empresas à venda 

“Nosso desejo é sair da participação da petroquímica e isso inclui a Braskem. No entanto, a Braskem tem uma questão importante que é a discussão de um acordo de acionistas que precede a decisão de venda. Precisamos encontrar solução que preserve os interesses da Petrobras”, disse o gestor, sem especificar prazos para a operação.

Escândalos de corrupção

Pedro Parente também comentou sobre os esquemas de corrupção envolvendo a estatal, que são investigados pela Operação Lava Jato. Para o presidente, a empresa acaba se tornando vítima das irregularidades apuradas na ação. “Nós, como vítimas que fomos, fomos assistentes de acusação em todos os processos”, defendeu. Segundo ele, a Petrobras criou uma estrutura na companhia para lidar com as demandas ligadas às investigações.