Tamanho do texto

Os emoticons já foram considerados sinais de adolescentes. Hoje, todo mundo aderiu ao uso - mas vale lembrar que, no trabalho, é bom ter cautela

Brasil Econômico

via GIPHY

O uso dos emojis ou emoticons já é uma das ferramentas mais usadas na comunicação contemporânea. Todos nós sabemos o que significa aquele joinha, ou aquele sorrisinho aberto, ou o coraçãozinho vermelho no meio da mensagem. Com certeza você já usou de um desses pequenos desenhos para enviar uma mensagem para amigos e familiares, certo? Mas, e no trabalho? É possível utilizar desse recurso? Quais são as regras para isso?

Segundo a consultora de etiqueta no trabalho Jacqueline Whitmore ao site Entrepreneur, os emojis já foram considerados sinais dramáticos nas conversas entre adolescentes, porém, agora, eles fazem parte do mundo adulto  e, inclusive, estão entrando no ambiente de trabalho. Para ela, “acredite ou não, são considerados aceitáveis”.

Ainda de acordo com Whitmore, os emojis, quando usados de uma maneira correta, podem adicionar significado à mensagem e dar um sentido extra àquilo que desejamos passar, como quase nenhuma outra coisa é capaz, aliás. Para tanto, é preciso ter muito bom senso – e não ultrapassar os limites do aceitável, já que o ambiente corporativo nos exige o dobro de cuidado.

A fim de ajudar a definir as melhores práticas, a especialista dá algumas dicas de etiqueta para você usar os emojis da melhor maneira possível no trabalho. ;)

1. Considere cada situação

via GIPHY

Antes de encher sua mensagem com emojis, pense muito cuidadosamente na situação específica, na pessoa que irá receber sua mensagem e no tom que está usando na mensagem corporativa. Se estiver escrevendo a alguém sobre um assunto sério, os emojis, provavelmente, não serão apropriados. Eles podem ser, em contrapartida, um “amaciante” em circunstâncias mais difíceis. Tudo depende, especialmente, de quem é seu receptor.

Por exemplo, se você tiver que comunicar a um colega sobre notícias ruins, você poderia usar um emoji de carinha triste e deixar que ele saiba que o assunto te desaponta também. Mas, restrinja-se a usar essas figuras se você não conhece muito bem a pessoa ou se você não sabe quem vai receber a mensagem. Se, por outro lado, você conhece o colega e sabe que ele também é adepto aos emojis, então, tá liberado!

2.  Seja discreto

Independente da situação, os emojis não deveriam, nunca, serem usados em substituição total das palavras em uma mensagem corporativa. Eles são, somente, um extra nos e-mails ou chats corporativos. Seria bem inapropriado, especialmente em se falando de ambiente de trabalho, encher um texto para um colega, cliente ou chefe com as figurinhas. Isso, sim, pode soar muito imaturo e adolescente de sua parte. 

3. Conheça o emoji

via GIPHY

Essa é uma dica muito importante: se você não entende o que aquele emoticon quer dizer, então desista de usá-lo. Se existir qualquer tipo de dúvida sobre seu significado e você acabar colocando em alguma mensagem... Bem, isso pode acabar sendo inapropriado. O escritório não é um local onde você pode sair experimentando novas ferramentas como essa, já que há sempre o risco de você encaminhar algo sem querer, por exemplo. O mais simples e mais seguro é uma carinha sorrindo, já não é mais do que satisfatório?

LEIA MAIS :  Facebook lança emojis para representar diversidade de gêneros e etnias

Além disso, essa dica vai te ajudar a se livrar de emojis que possam ser interpretados como assédio e raiva. 

4.  Potencial cliente? Sem emojis!

Não use esse recurso quando estiver falando com novos clientes – ou tentando estabelecer uma relação com colegas de empresa. Para isso, você tem as palavras, elas bastam. Novamente: seja profissional. Foque em se expressar bem nos e-mails e mensagens de texto – isso já é capaz de capturar e construir a confiança alheia em seu trabalho.

5.  Gírias figurativas

via GIPHY

Colegas de trabalho e os profissionais de setores específicos, de maneira geral, têm seu linguajar próprio, com gírias e vocabulário casual. Para saber quando os emojis estão adequados nas suas mensagens de texto, é só pensá-los como “gírias desenhadas”. Isso quer dizer que são melhores em conversas mais casuais – mas, ainda assim, tenha cautela para não transparecer algo como se você não estivesse ligando, ou que não leve a sério.

Por fim, é legal destacar que a comunicação deve ser bem trabalhada com ou sem emojis . Saiba escrever um texto claro, tenha cuidado com o tom que está passando e não se torne um dependente das figurinhas. Saiba se expressar de outras formas! Lembre-se de que eles são um mero acessório – e não devem ser um substituto das palavras. Para estar seguro, use com moderação, de forma sensata e adequada. =)