Brasil Econômico

Brasil Econômico

undefined
BBC
Medo do desemprego: desde janeiro, mais de 350 mil perderam empregos de carteira assinada no Brasil

Um estudo divulgado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) nesta segunda-feira (18) revela que o medo do desemprego atingiu o nível recorde no País. De acordo com os dados, o indicador ficou em 108,5 pontos em junho.

O medo do desemprego só atingiu um nível tão alto em maio de 1999, durante a crise de desvalorização do real. Ao observar os gráficos divulgados, é possível perceber que a média histórica é de 89,0 pontos – e que entre os anos de 2012 e 2013, os brasileiros estiveram menos preocupados com a perda do emprego  desde que a pesquisa foi iniciada, com nível de 69,0.

undefined
Divulgação/CNI
O medo do desemprego só atingiu um nível tão alto em maio de 1999

O estudo também captou números relativos à satisfação com a vida do brasileiro. Os números também revelaram a total insatisfação dos cidadãos, já que atingiram o segundo menor valor da série histórica.

LEIA MAIS: Seguro-desemprego: o que mudou, quem tem direito e como sacar o benefício

Este indicador chegou em 93,1 pontos em junho, o que mostra uma melhoria em relação a março, quando caiu para 92,4 pontos, ou seja, o patamar mais baixo desde 1999. Em relação a junho de 2015, a satisfação caiu 2,6%. 

Medo do desemprego & Satisfação com a vida

Fazem parte da publicação da CNI o Índice de Medo do Desemprego (IMD) e o Índice de Satisfação com a Vida (ISV). Os indicadores, de abrangência nacional, são coletados desde 1999 e identificam o sentimento da população brasileira,  apoiando as previsões da evolução do consumo das famílias. As informações necessárias à construção do indicador são coletadas por meio da opinião da população.

A pesquisa da CNI sobre medo de desemprego e satisfação com a vida é realizada trimestralmente. Para auferir os dados foram ouvidas, entre 24 e 27 de junho, 2.002 pessoas em 141 municípios do País.

*Com informações da CNI

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários