Brasil Econômico

Brasil Econômico

O preço do aluguel residencial fechou o primeiro semestre com a maior queda desde 2007, indicou o Índice FipeZap. Segundo o indicador, o recuo médio em 11 cidades foi de 1,78% nos primeiros seis meses do ano, novo recorde negativo da série histórica, iniciada há nove anos. 

LEIA MAIS: Consórcio ou financiamento? O que é melhor com a queda dos preços dos imóveis

O coordenador da pesquisa sobre o preço do aluguel , Eduardo Zylbertajn explica que o mercado de locação não é tão rígido quanto o mercado de venda de imóveis. "O proprietário prefere dar um desconto a pagar as despesas com IPTU e condomínio. Por isso, é psicologicamente mais fácil ajustar o preço de aluguel do que o de venda", diz.

undefined
Reprodução
Houve queda nominal no preço médio do aluguel em São Paulo e outras cidades brasileiras

Se for levada em conta a inflação de 8,84% dos últimos 12 meses, o Índice FipeZap - que considera apenas o preço de novos alugueis - acumula uma queda real de 12,93%.

Em todas as regiões, a variação foi menor do que a inflação desse período. Houve queda nominal no preço médio do aluguel no Rio de Janeiro, Salvador, São Paulo, Santos, Porto Alegre, Campinas e Distrito Federal.

Com uma queda que chegou a 3,6%, o preço de locação no Rio de Janeiro foi o que mais sofreu os impactos do recuo no acumulado do ano. Para o responsável pela pesquisa, o fato pode ser explicado pela crise financeira do Rio.

Rentabilidade do aluguel

Não é apenas o preço de locação que está em baixa. A rentabilidade do aluguel alcançou em junho um resultado anualizado de 4,5%, bem abaixo dos 8%, que foi o maior retorno registrado no estudo.  Para chegar a esse número, compara-se o preço médio de locação e o de venda de imóveis.

LEIA MAISConsórcio: entenda as regras dessa modalidade de compra

Distratos

Não são apenas os proprietários que estão apresentando resistência para baixar os preços de venda. As incorporadoras também estão sendo mais cautelosas com a concessão de descontos, porque se elas tomarem esse tipo de atitude paa vender as últimas unidades, os compradores antigos desistem do negócio fechado anteriormente a passam a barganhar. 

Os distratos têm sido uma dor de cabeça para as incorporadoras, porque elas precisam negociar a devolução de uma parte do valor que foi pago, e colocar o imóvel à venda novamente.  Ao que parece, o preço do aluguel não tem sido o único problema no mercado imobiliário.

*Com informações do Estadão Conteúdo

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários