Agência Brasil

undefined
Thinkstock/Getty Images
Projeção consta na pesquisa Prisma Fiscal, da Secretaria de Política Econômica da Fazenda

Instituições financeiras consultadas pelo Ministério da Fazenda esperam que o déficit primário do Governo Central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central) termine este ano em R$134,178 bilhões acima do déficit de R$104 bilhões previsto anteriormente.

A projeção consta da sexta edição da pesquisa Prisma Fiscal , elaborada pela Secretaria de Política Econômica do Ministério da Fazenda, com base em informações de 30 instituições financeiras. O estudo foi divulgado nesta quinta-feira (16), em Brasília. Para 2017, a estimativa de déficit aumentou para R$ 104,843 bilhões ante os R$ 92,080 bilhões de pesquisa anterior.

Leia também:  Proposta de teto para gastos públicos pode se arrastar no Congresso; entenda

Arrecadação

A projeção para a arrecadação federal este ano caiu de R$ 1,274 trilhão para R$ 1,273 trilhão. Para 2017, a estimativa foi elevada de R$ 1,369 trilhão para R$ 1,374 trilhão.

Para a receita líquida do Governo Central, a estimativa é que caia de R$ 1,090 trilhão este ano para R$ 1,086 trilhão e aumente de R$ 1,166 trilhão para R$ 1,175 trilhão em 2017. Para as despesas, a expectativa é de elevação de R$ 1,200 trilhão para R$ 1,225 trilhão, este ano, e suba de R$ 1,266 trilhão para 1,283 trilhão, em 2017.

Leia mais: Projeção para inflação 2016 segue acima da meta, segundo Copom

A pesquisa apresenta também a projeção para a dívida bruta do Governo Central , que, na avaliação das instituições financeiras, deve passar de 74% do Produto Interno Bruto (PIB) para 74,35 % este ano. Para 2017, a estimativa mudou de 79,68% para 79% do PIB – a soma de todas as riquezas produzidas pelo país.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários