Agência Brasil

undefined
Antonio Cruz/Agência Brasil
Com retração de 7%, telhas de fibrocimento tiveram maior queda


De janeiro a abril deste ano, as vendas no varejo de material de construção caíram 11% em comparação a igual período de 2015. Abril sobre março acusou recuo de 7%. Já abril em relação a abril do ano passado, a redução é de 2%.

O resultado é de pesquisa - feita entre 26 e 30 de abril com 530 lojistas de todo o país - pelo Instituto de Pesquisas da Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco).

No desempenho de abril sobre março, a região Centro-Oeste foi a única a apresentar alta: 2%. No Nordeste ocorreu retração de 5%. No Norte, de 7%, no Sudeste de 9% e no Sul de 10%.

Números negativos

Entre os itens com as maiores quedas estão as telhas de fibrocimento (-7%) ; louças sanitárias (-6%), tintas (-5%) e revestimentos cerâmicos (-5%). No período, permaneceram estáveis as vendas de fechaduras, ferragens e metais sanitários.

Por meio de nota, o presidente da Anamaco, Cláudio Conz, afirmou hoje (3) que, além de abril ser, tradicionalmente, ruim para as vendas neste setor, a estiagem atípica ajudou a atrapalhar os negócios. “As chuvas atrapalham quando estão acontecendo, obrigando o consumidor a adiar as obras, mas a falta delas também prejudica o nosso setor, pois acaba gerando menos manutenção ou estragos e menos demanda por obras”, afirmou.

Quanto à sondagem sobre as expectativas de vendas para maio, a Anamaco informou que 44% dos lojistas acreditam em estabilidade; 43% apostam em aumento e 13% temem novo recuo. A pesquisa indica, ainda, melhora no índice de confiança no governo federal, que passou de 21% para 34%, resultando na intenção de aumentar as contratações de trabalhadores. Cerca de 33% dos pesquisados disseram que vão planejar novos investimentos nos próximos 12 meses.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários