Tamanho do texto

Entre os grupos, único setor que teve alta foi o de alimentação, que cresceu 0,67%; limpeza e higiene pessoal tiveram queda

Batata foi o produto que mais pressionou aumento da cesta básica
Pedro Silveira / O Tempo
Batata foi o produto que mais pressionou aumento da cesta básica


Puxado principalmente pela batata, que teve alta de 12,5%, o valor da cesta básica aumentou 0,43% no período de 14/04 a 20/04, segundo pesquisa realizada em conjunto pela Fundação Procon-SP e o Dieese. 

A segunda maior alta registrada foi da margarina, com 5,36%, seguida pelo desodorante spray, que teve crescimento de 5,14. O biscoito maisena foi o quarto produto que mais subiu, com 4,09%. Em quinto lugar ficou a água sanitária, que cresceu 3,13% no período.

Em contrapartida, alguns produtos registraram queda. Os maiores recuos foram registrados pelo papel higiênico (5,09%), extrato de tomate (3,11%), biscoito água e sal (2,65%), sabão em pó (2,65%) e carne de segunda sem osso (1,89).

Dos 39 produtos avaliados, 19 tiveram alta, 18 mostraram queda e dois permaneceram estáveis. Considerando o peso na cesta básica, os produtos que mais pressionaram a alta fora a batata (0,36%), carne de primeira (0,30%), margarina (0,08%), queijo muçarela fatiado (0,06%), biscoito maisena (0,04%). 

Entre os grupos, o único setor que teve alta foi o de alimentação, que registrou crescimento de 0,67%. Limpeza e higiene pessoal tiveram queda de 0,93% e 1,14%, respectivamente. A variação total do mês de abril foi de 0,76%.

A Pesquisa Cesta Básica Procon/Dieese toma como referência a Pesquisa de Orçamento Familiar de São Paulo (POF/IBGE) 2008/2009 e contempla 28 produtos de alimentação, seis de limpeza doméstica e cinco de higiene pessoal.