Tamanho do texto

Segundo economistas, elevação do desemprego e recessão da economia são alguns dos fatores que motivam menor procura

Agência Brasil

Na análise por faixas de renda, o resultado de março, na comparação com o mesmo período no ano passado, foi de queda de 5% entre os consumidores que ganham até R$ 500 mensais
Marcos Santos/USP Imagens
Na análise por faixas de renda, o resultado de março, na comparação com o mesmo período no ano passado, foi de queda de 5% entre os consumidores que ganham até R$ 500 mensais


A procura por crédito pelo consumidor caiu 0,4% em março na comparação com março de 2015, segundo indicador da empresa de consultoria Serasa Experian. Em relação a fevereiro, a demanda avançou 8,4%.

Economistas apontam que a elevação do desemprego, a recessão econômica, o nível elevado das taxas de juros e o patamar deprimido dos níveis de confiança do consumidor impedem um desempenho mais favorável da procura dos consumidores por crédito.

Na análise por faixas de renda, o resultado de março, na comparação com o mesmo período no ano passado, foi de queda de 5% entre os consumidores que ganham até R$ 500 mensais. Houve redução de 1,3% para os que recebem entre R$ 500 e R$ 1 mil por mês.

Aqueles com renda entre R$ 1 mil e R$ 2 mil reduziram, na mesma base de comparação, a demanda em 0,9% e houve retração de 1,2% para a faixa de R$ 2 mil a R$ 5 mil. A redução foi de 1,4% para os que recebem entre R$ 5 mil e R$ 10 mil e de 0,8% para aqueles que ganham mais de R$ 10 mil.

Ainda quando se compara março de 2016 com o mesmo mês em 2015, há uma queda na procura por crédito na regiões Norte (-1,4%) e Nordeste (-7,5%). Houve alta no Centro-Oeste (4%), Sul (0,8%) e Sudeste (1,2%).

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.