Tamanho do texto

Problemas começaram após quatro meses de uso, quando consumidora utilizou o aparelho para tirar fotos na piscina

Samsung
Divulgação
Samsung


A Samsung foi condenada a pagar indenização de R$ 2 mil por danos morais e R$ 2,4 mil por danos materiais a uma cosumidora que teve o celular à prova d'água danificado após usar o aparelho em condições de umidade excessiva. 

Segundo a reclamante, os problemas começaram após quatro meses de uso, quando ela submergiu o celular para tirar fotos. Apesar de ter ido à assistência por duas vezes, o aparelho continuou a apresentar falhas quando usado na piscina. 

A defesa da empresa foi baseada na alegação de "mau uso" por parte consumidora, mas o  juiz José Augusto Cunha Fontes da Silva, relator do processo, apontou que não houve má utilização demonstrada pelo relatório técnico. 

"A conclusão do laudo de que o telefone teve contato com umidade excessiva não resulta na atribuição de culpa à consumidora, observado que o aparelho adquirido foi anunciado amplamente como à prova de água, para uso em piscinas e afins. Portanto, se não se mostrou apto para esse uso, o valor pago deve ser restituído, com juros e correção monetária, devendo, ao mesmo tempo, o telefone ser entregue à parte reclamada, por seus agentes autorizados", relatou a decisão. 

Inicialmente, a indenização por danos morais seria de R$ 4 mil, mas a redução aconteceu após o juiz considerar que o valor de R$ 2 mil se mostrava mais adequado e proporcional. 

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.